por Hellen Reis Mourao

2016: O ano do Sol

2016 será o ano do Sol, de acordo com a Astrologia. Mas em termos psicológicos o que ele significa e como afeta a nossa vida?

O Sol, em nosso sistema solar, é fonte primordial de luz e de vida. Todos os outros planetas recebem calor e energia dele, permitindo (pelo menos na Terra) que a vida exista. Ele é o coração de nossa Galáxia.

Na Astrologia está associado ao nível da consciência da psique. Também está associado ao progresso humano e ao espírito, ou seja, o calor divino. É o principio ativo, masculino, yang, o logos.

O Sol astrológico diz respeito ao sentido de permanência, e o de ser aquilo que se é. Pois ele é o único astro que está fixo e todos os outros giram em torno dele, agindo como ferramentas de sua vontade.

A posição do Sol em um mapa astrológico, por signo, casa e aspectos, tem sido um dos pontos (junto com a Lua e o ascendente) de referência a ser estudado. Geralmente é o primeiro dado que se leva em conta.

Também significa nosso sentido moral, ético e religioso. Bem como nosso desejo de controle, dominação e poder.

Na visão da Psicologia Analítica, o Sol pode ser associado à consciência.

No processo de individuação o ego é o maior colaborador para que uma pessoa se torne consciente. Em Astrologia, a assimilação do signo solar requer um esforço consciente por parte da pessoa, uma vez que é o ego (o Sol) quem sofre o processo de individuação. 

É um processo doloroso, que sempre começa com uma humilhação do ego, porém, é um esforço que gera as possibilidades mais ricas e criativas, como direções mais definidas, força de vontade, autossuficiência e definição no mundo exterior.

Jung (2011) cita:
Entendemos por “eu” aquele fator complexo com o qual todos os conteúdos conscientes se relacionam. É esse fator que constitui como que o centro do campo da consciência, e dado que este campo inclui também a personalidade empírica, o eu é o sujeito de todos os atos conscientes da pessoa. Esta relação de qualquer conteúdo psíquico com o eu funciona como critério para saber se este último é consciente, pois não há conteúdo consciente que antes não se tenha apresentado ao sujeito.

Portanto, dependendo da posição do Sol em um mapa astrológico, pode-se notar uma inflação de ego ou uma debilidade, se mal aspectado. 

A falta de determinação também é um aspecto negativo de um Sol “fraco”. E o egocentrismo e arrogância, uma característica de um Sol “forte demais”.

Não podemos nos esquecer também que o Sol astrológico é um arquétipo. E esse arquétipo esta presente em várias mitologias, pois a maioria possuía deuses solares.

No Egito, havia o culto ao deus solar Rá, instituído pelo faraó Akhenaton, na Grécia havia o deus solar Hélios. Apolo também era considerado filho dourado de Zeus. Na Índia o deus Indra e o deus Shamash na Babilônia também eram representantes do sol. E todos eram deuses do equilíbrio, da finalidade e vontade dirigida.

O Sol também é o herói mítico, aquele que empreende a jornada do herói como símbolo da vontade e finalidade humana. Ou seja, simboliza a jornada humana rumo à individuação. 

Hércules é um bom exemplo desse herói solar, pois apresentava as características tanto positivas quanto as mais desagradáveis do Sol. Foi o herói que enfrentou a ira dos deuses e lutou contra seres horríveis para transcender sua condição de simples mortal, porém antes da empreitada das doze tarefas apresentava uma arrogância selvagem.

O Sol na astrologia rege o signo de Leão. Signo da vitalidade de criatividade. E o leão é o rei dos animais, símbolo da masculinidade, da realeza e, da autoridade.

O sol, na alquimia, é associado ao enxofre, substância inflamável e ao leão também.

Por essas características apresentadas, o Sol pode ser associado ao arquétipo paterno. Correspondendo aos valores do masculino e do patriarcado.

Em um mapa pessoal, portanto, mostra a imago paterna existente no inconsciente pessoal. Ou seja, como aquela pessoa enxerga e se relaciona com o pai e com qualquer outra figura de autoridade.

Podemos também distinguir o pólo masculino da personalidade. No mapa de um homem representa, como princípio do logos, a sua masculinidade, sua virilidade, a forma como ele exerce a paternidade, bem como a sua sombra pessoal.

No horóscopo feminino simboliza um dos aspectos animus. Ou seja, a imagem masculina inconsciente da mulher, que acaba sendo projetada, primeiramente no pai e posteriormente nos relacionamentos amorosos. 

Portanto em 2016, vamos entrar em contato com a nossa autoridade interior. Isso é muito positivo desde que tenhamos consciência de nossa sombra.

Esse será um ano também que iremos nos defrontar com nosso Leão interior; que além de realeza simboliza nossa cobiça, nossa ira, nossa preguiça e nosso desejo de poder. Portanto, é importante lembrar que essa não será uma tarefa fácil; ela vai requerer muita coragem e espírito heróico, mas que pode compensar muito em termos de criatividade de desenvolvimento.

Feliz 2016 para nós! 

Hellen Reis Mourao

+ artigos

Analista junguiana. Formada em psicanálise e psicologia analítica. Especializada em Mitologia e Contos de Fadas. Atendimentos em psicoterapia.