por Regine Luise

Amei de amor amado

Amei sem saber o que era esse sentimento. Amei fazendo barulho, amei bagunçando a casa por dentro e por fora. Amei empurrando a sujeira para debaixo do tapete, depois amei jogando tudo para o ar. Amei com sorriso, com gargalhada. Com sabor de fruta mordida, halls de morango, pudim de doce de leite. Amor com sabor de café, de sorvete, de bem casado.

Amei chorando, resmungando pelos cantos, amei com o peito doendo. Amei sem manual, depois amei tentando criar minhas próprias regras. Amei transbordando de palavras, depois amei no silêncio do que nem foi dito. Amei com amor escondido, escancarado. Amei de ficar esperando para sair e olhando o visor do telefone implorando para que tocasse.

Amei recebendo mensagem de bom dia e te amo no boa noite. Amei de fazer planos para casar e ter três filhos. Depois amei sem planos para o futuro só pensando no presente, no agora, no aqui. Amei a pé, de ônibus e de metro. Amei com sede, com fome, com o corpo dolorido, mas sem vontade de abandonar o barco. Amei com medo de ficar sozinha, com medo de perder. Amei com amor declarado, que todos sabiam. Amei de um jeito que ele sentia. Amei quando tudo mundo disse para eu não amar.

Amei errando, acertando, tropeçando. Amei entre mensagens, whatss, e-mails e telefonemas. Amei fazendo carícias, massagens. Amei piscando e trocando sorrisos. Amei olhando nos olhos, admirada encantada. Depois amei com tristeza, amei chateada e continuei amando mesmo na hora da raiva. Amei ao som de várias músicas, passando pelo sertanejo e MPB. Amei com filmes de comédia ou com a emoção de um filme de romance.

Amei de madrugada quando acordei de saudade, ou nem consegui dormir de preocupação. Amei com batom e sem maquiagem. De salto alto ou um tênis qualquer. Já amei vendo fotos, lendo cartas e tomando sozinha um café que era para dois. Já amei recebendo um presente ou imaginando feliz o que eu ia dar. Amei o sorriso, olhar e cheiro.
 

Amei de forma mascarada, mas também de cara lavada. Amei causando furdúncio, amei causando confusão. Amei sem pensar que ia acabar. Amei pensando que naquele momento era de verdade, intenso e para sempre. Amei sem me importar com muita coisa, com o que os amigos achavam ou os pais pensavam. Amei com muitos torcendo contra. Amei com muitos torcendo a favor. Amei sozinha e depois amei em dois. Amei sem pensar no depois.

Amei tombando com o pote de açúcar. Amei no frio e no calor. No verão, no inverno. Amei com passado, no presente e com alguns planos para o futuro. Amei com ou sem estilo. Amei sem pretexto, sem desculpa, sem mentiras. Sem arrependimentos.

Amei e continuo amando. Com a diferença de que amores mudam, renascem, se transformam. Mudam de endereço e destinatário. De cor, de momento, de idade, de tamanho e intensidade. Ou não.

Regine Luise

+ artigos

Jornalista, poeta e romântica nas horas vagas. Regine Luise ama, doa, sonha, dramatiza, sorri, chora e escreve. Não necessariamente nessa ordem.