por Hellen Reis Mourao

Aquário e os deuses

O signo de Aquário atualmente é regido por Saturno e Urano. E seu símbolo é o aguadeiro, que derrama água do céu.

Para os egípcios, Aquário representa o poder espiritual vital que renova e fertiliza todas as coisas.

Na Mitologia Grega, estava associado ao mito de Ganimedes, um belo rapaz troiano que atraiu a atenção de Zeus. O rapaz se tornou copeiro dos deuses e derramava ambrosia para eles. Mostrando que Aquário está ligado ao conceito de substância divina que alimenta a vida.

Esta associação do signo com a água da vida, infelizmente, mudou ao longo do tempo e, hoje, Aquário é atribuído à eletricidade, o que cai bem ao nosso mundo cientifico. Os aspectos tecnológicos avançados atuais são inebriantes – até demais, custando caro para o planeta e a humanidade.

Aquário é outro signo que mudou de regência: de Saturno a Urano, mas na regência olímpica era regido por Hera, a grande deusa olímpica.

Hera era a deusa do casamento – algo estranho, já que Aquário é tido como inconformista e preza pela liberdade. No entanto, poucos sabem que Hera era a deusa da Via Láctea. Ela era a grande Mãe, antes do domínio de Zeus. Na verdade, era uma inconformada, pois perdeu seu poder e foi colocada como sombra do marido, que não a respeitava. A associação com Hera, então, mostra que a humanidade não pode ser livre enquanto masculino e feminino estejam unidos como iguais, tanto no casamento quanto nos assuntos mundanos.

Hellen Reis Mourao

+ artigos

Analista junguiana. Formada em psicanálise e psicologia analítica. Especializada em Mitologia e Contos de Fadas. Atendimentos em psicoterapia.