por Giovanna Sapienza

Como você enxerga espiritualidade?

Hoje quero bater um papo com você e saber como anda a sua espiritualidade. Afinal, como você tem conduzido e experienciado este ponto importantíssimo da vida? Quero saber como você enxerga a espiritualidade? De que forma você encara ela e em quais situações e/ou oportunidades aplica-a em seu cotidiano?
 
Mudando seu ponto de vista
 
Escutamos muitas pessoas falando de espiritualidade, da conexão com o divino, dos amigos espirituais envolvidos, das dimensões energéticas da vida, etc. Tudo muito coerente, claro, mas muitas vezes estes mesmos ensinamentos estão recheados de regras, postulados, pré-conceitos e pré-requisitos que nos limitam e nos tornam impotentes. Alguns até acreditam que a espiritualidade só pode ser praticada através de uma crença religiosa, seita ou doutrina, sempre nos prendendo a um superior (padre, pastor, guia, mestre, etc) e diminuindo cada vez mais nossa autonomia e capacidade de ação.
 
Está na hora de mudarmos esta forma de enxergar a espiritualidade. Não existem regras e muito menos limitações para esta manifestação, todos podemos praticá-la. Ela está presente em nossas vidas, em nosso cotidiano, em todos os momentos; independente da crença ou direcionamento moral, todos podemos usufruir e desenvolver nossa espiritualidade. Ela deve se tornar algo tão natural quanto escovar os dentes, comer e andar.
 
Estamos adentrando um momento planetário onde barreiras necessitam ser transpostas. Precisamos enfrentar, quebrar nossas crenças limitantes e começarmos a desenvolver nossa autorresponsabilidade e toda nossa capacidade divina e infinita.
 
Internalizando um sentido verdadeiro
 
Antes de mais nada é preciso entender que a espiritualidade não é algo que está fora de nós, não é algo que está apenas nas orações e nos processos externos. Ela não é apenas uma questão esotérica ou religiosa, apesar de também estar inserida nestas categorias. Ela não depende de um superior ou mestre, ela está nas suas mãos e você pode desenvolvê-la e praticá-la como e onde quiser.
 
Compreenda e aceite sua condição de cocriador, você cria a sua vida e a sua realidade externa através da sua realidade interna. Seus pensamentos, sentimentos e reações diárias são as ferramentas dosadoras e materializadoras de seus sonhos e desejos mais profundos. É através delas que você determinará o sucesso ou fracasso do seu futuro.
 
Jung já dizia que a espiritualidade é a dimensão humana mais profunda existente em nós, é através dela que você determinará todos os seus processos de aprendizado e evolução, seu futuro e suas condições cotidianas.
 
A espiritualidade é a necessidade que temos de transcender a matéria e a condição finita dela. Espiritualidade nada mais é do que o fluxo de energia existente dentro e fora de você, ela pode ser positiva ou negativa, assim como o sentido que VOCÊ dá para a sua vida. Você e as suas crenças são e sempre serão os únicos fatores determinantes desta condição.
 
Diante disso, busque harmonizar constantemente sua energia interior, ligue-se a coisas e pessoas positivas, ideias grandiosas e prósperas. Permita-se estar em conexão com tudo e todos ligados a faixas vibratórias de luz e altas frequências.
 
Você merece o melhor, mas será que é isso que você realmente se dá?
 
A espiritualidade busca ressonância dentro de você, do seu corpo e da sua realidade interna. Por isso tome cuidado redobrado a cada palavra que profetiza, a cada sentimento e emoção que você se permite manifestar, a cada diálogo e olhar lançado.
 
Espiritualidade não é algo mágico e inacessível, ela não depende de credo, hierarquia ou condição social. Estas são questões puramente humanas. A espiritualidade existe 24h por dia dentro de você, do seu coração e da sua mente.
 
Utilize esta ferramenta de evolução com sabedoria e muito amor!

 

Giovanna Sapienza

+ artigos

Terapeuta Holística, Jornalista e espiritualista, fundadora do projeto Saber Pleno. Amante de arte, comunicação e natureza, já estuda espiritualidade e novos caminhos para saúde e bem estar há 5 anos. Acredita muito nas relações pessoais, nos processos energéticos e nos bons sentimentos como caminho para uma vida feliz.

Frase de cabeceira: “A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.”