por Suzy Reigado Ferreira

Compromisso ou alienação?

Compromisso ou palavra que se honra, vem do latim compromissum e refere-se a uma obrigação contraída. Tal palavra também está relacionada como uma “promessa” ou uma declaração de princípios para com as pessoas ou entidades e este acordo podendo ser de duas ou mais pessoas, empenhando-se a palavra, num contrato formal ou informal. 

Gosto muito da frase: Comprometer-se a realizar algo! 

Sejam quais forem estes compromissos sejam de ordem política, de relacionamento pessoal, de trabalho, religiosos, filosóficos, civis ou políticos, este termo é usado para fazer alusão a qualquer tipo de acordo no qual ambas as partes assumem obrigações. Portanto, pode-se considerar que um compromisso é como um contrato não escrito. Por isso, compromisso é sinônimo de um conjunto propriamente dito de direitos e deveres como um todo.

Mas, será que estamos em um mundo realmente compromissado? 

De tudo que vejo hoje, me parece que na grande maioria não, me referindo particularmente nas relações de trabalho neste encontro. As pessoas normalmente escolhem profissões muitas vezes apenas pelo sucesso financeiro ou o poder envolvido acerca de tal profissão. As pessoas vivem hoje nos extremos ou entram num ambiente de trabalho tentando trazer inúmeras bagagens inclusive por conta da concorrência ou nada trazem, e muito menos elas mesmas.

Muitas querendo suprir suas necessidades “monofóbicas” (viciados em celulares), consumistas assumidos, para conhecerem “gente bacana”, para não serem chamadas de Amélia, para não serem chamadas de Patricinha, para saírem da casa de seus pais, pois aliás hoje é “feio” morar com os pais até 30 anos. Pega mal sabe? E quando conseguem, depois de algum tempo na grande maioria, começam a entender o que realmente significava comprometimento e a responsabilidade que ora os seus pais exerciam. 

Claro, as exceções também existem! E outras entram com maior consciência no mercado. Mas, o mundo lá fora nos pede comprometimento, ou seja, obrigações que nem sempre estamos dispostos a aceitar.  E tudo tem o seu preço! Mas, quando não estamos dispostos a pagar por isso? Muitas vezes ocorre a alienação sobre o mundo e principalmente sobre elas mesmas.

E quando estas criaturas entram num ambiente de trabalho se não estiverem conscientes de seus propósitos ou metas, ou seja, lá o que movem suas ações, faram um verdadeiro engessamento no ambiente e quanto mais alienados tiverem, mais poderão atrapalhar outros que realmente estão engajados.

 Voltando a palavra acima, creio que estes na sua grande parte nunca passaram de “promessas” e nunca serão pessoas realmente compromissadas. Pois, o compromisso vai muito além do desempenho correto de suas funções, parto do princípio que para haver crescimento devemos agregar valores, ou seja, troca quer que seja na empresa ou ao outro ser humano. Só agregamos novos valores quando questionamos os nossos, nos flexibilizamos perante os de outros e agimos com humildade quando erramos.

Há muitos jovens com muita dificuldade em aceitar críticas, pois falta humildade, considerando muitas vezes um castigo como crianças mimadas. Os erros fazem parte, admití-los também, porém o que faz a grande diferença é procurar sempre se aperfeiçoar. Todo grande time só vence quando há o comprometimento com um objetivo e a união de todos em ações para que aquela “ideia” não passe de uma semente que deixou de germinar pela falta de dedicação do jardineiro. 

Creio que neste caso, podemos dar alusão a esta ideia sobre o significado de três arcanos maiores do Tarô:

Todos nascemos Magos, pois há dentro de nós todos os instrumentos e dons necessários para a realização de muitas coisas em nossa Vida, mas precisamos da direção do Carro e das rédeas em nossas mãos, cuja direção estará entregue ao nosso próprio livre arbítrio para realizarmos ou não todos os propósitos de nossas vidas guiados pela sabedoria do Eremita que respeita o tempo certo do Universo, cuja única meta é na realidade poder viver através de sua própria luz, que nada mais é de que a própria luz de Deus.

E por dar valor a própria sabedoria sabe que só através de nossas vivências é que conseguimos assimilar boa parte deste conhecimento. E assim, cada um gastará o tempo devido, sendo o tempo igual para todos apenas a sua utilidade que é diferente. Muitos no final de seu dia dirão que o dia foi cansativo e metódico e se pudessem não retornariam no dia seguinte caso a boa sorte lhe olhassem ganhando numa loteria.

 Para outros o dia também foi cansativo e metódico, mas gostariam de retornar para o dia seguinte, pois terá oportunidade de fazer de forma diferente aquele trabalho e quem sabe melhor do que fez no dia anterior.

Acima de tudo, o compromisso consigo mesmo é fundamental para que você não passe de uma promessa vazia principalmente para si mesmo!

Suzy Reigado Ferreira

+ artigos

Terapeuta Naturista, numeróloga presta assessoria em mapas pessoais e empresariais. Psicoterapeuta com especializações em: Acupuntura, Florais, Massagens Terapêuticas, Estética, Cromoterapia e Reiki. Formação Acadêmica Licenciatura Plena Artes Plásticas (FAAP). Diretora de Arte, Ilustradora de livros didáticos e paradidáticos e Professora de Mandalas.