por Elizabeth Nakata

De astrólogo e louco

Uma vez astrólogo e você jamais conseguirá assistir a um filme, ler um livro, conhecer pessoas ou passar por situações sem procurar um significado astrológico. Isso pode ser um porre para os leigos que convivem conosco, se não soubermos dosar o astrologuês.

Num desses surtos astrais, fazendo meu caminho de todo dia, resolvi associar ruas de minha cidade - algumas velhas conhecidas - com signos e planetas. A rua 11 de Junho, que seria do signo de Gêmeos, contrariamente a um dos princípios do signo, é de mão única em quase toda sua extensão. Em compensação tem casas particulares, prédios de apartamentos, comércio de varejo, escritórios, consultórios, bufês infantis, uma agência dos correios, outra de carros, enfim uma verdadeira rua eclética, onde se encontra de quase tudo, sem nenhuma especialidade.

Já uma avenida bem próxima, a 23 de Maio, essa sim é geminiana em sua duplicidade de mãos, em suas várias faixas e no sentido de ser importante via de interligação entre vários bairros. Geralmente a comunicação vista nela é, infelizmente, entre motoristas e motoqueiros que se agridem mutuamente, com buzinas, gestos grosseiros ou palavrões. Ali tem o prédio do Detran, cuidando de toda a parte burocrática do ir e vir de veículos, local onde tem em funcionamento a escolinha para motoristas infratores que, em sua maioria, dizem estar ali por culpa dos outros (mentirinha funcional), embora os radares, fotos e multas teimem em mostrar a verdade: em seus prontuários estão assinalados os pontos das infrações.

A 25 de Março é de Áries. Realmente, para fazer compras nessa rua só mesmo ativando o lado ariano, dando coices/cotoveladas na turba que teima em barrar o caminho, agarrando a bolsa com unhas e dentes para evitar furtos, fugindo dos camelôs que empurram produtos à nossa frente. Isso sem falar do mau humor proverbial dos vendedores das lojas, que parecem estar ali mais para brigar do que fazer acordos librianos de venda.

Curiosamente abri o guia de ruas da cidade, a procura de nomes familiares a qualquer astrólogo. Veja o que achei: há uma rua para cada signo e uma para cada planeta do sistema solar. Como não poderia deixar de ser, a Rua Urano fica no bairro da Liberdade. A Rua Vênus na Vila Formosa. A Rua Gêmeos no bairro de São Mateus que, segundo a famosa relação entre o quadro de da Vinci da Santa Ceia, com seus doze apóstolos e os doze signos, representa o signo de Gêmeos.

Nem sempre há essa relação tão redondinha mas, como ouvi certa vez de um pseudo-astrólogo, a gente sempre pode dar uma ajeitadinha e acaba achando a similaridade. Não, não sou dessas astrólogas que gostam de ajeitadinha, por isso quando não encontro respostas prefiro continuar com aparentes divergências como a da Rua Saturno, na Liberdade. Pensando bem não precisa de nenhuma ajeitadinha, Saturno é corregente de Aquário, mas Rua Marte no Jardim Paulistano não tem mesmo nada a ver.

Para você que me lê e não sabe, ainda, das correlações, Vênus é a deusa da beleza, regente dos signos de Touro e Libra. Urano e Saturno são regentes do signo de Aquário, que tem as características de novidade, alta tecnologia, sentimento gregário e liberdade. Áries tem por regente Marte, o deus da guerra. Gêmeos é o signo associado à comunicação, trânsito, dualidade, habilidade com as mãos.

Curiosamente, a grande concentração de ruas com nomes de planetas e signos está no bairro de São Mateus. Lá também, convivendo pacificamente nas paralelas, se cruzando perpendicular ou diagonalmente, temos várias figuras mitológicas como Phobos, Deimos e outros.

Quem será que resolveu batizar tantas ruas com nomes afins? Geminianamente quero respostas, mas falta a tenacidade da pesquisa escorpiana. Quem souber a explicação pode mandar e-mail elucidando o mistério.

Elizabeth Nakata

+ artigos

Astróloga, Jornalista e Radiestesista.