por Maíra Jara

Declarações despercebidas

Ontem à noite, fui dormir pensativa. Pensando na vida, na faculdade, no trabalho, na água que está acabando e no amor. Principalmente no meu amor. Não que eu tenha passado horas pensando, mas entre um pensamento e outro, era isso que dominava a minha mente. E, num sorrateiro devaneio, me lembrei das pequenas declarações de amor que fazemos todos os dias.

Há quem diga que um amor verdadeiro deve ser declarado aos gritos e berros, com palavras claramente objetivas e fortes, todos os dias. Não que eu discorde totalmente disto, mas em partes. Reconheço que algumas vezes uma declaração daquelas de cinema, faz bem para o nosso coração e, principalmente, para a relação.

Mas eu acredito ainda mais nas pequenas declarações – que não deixam de ser de cinema, já que elas prolongam o amor para o tão esperado final feliz- acredito naqueles pequenos gestos que, muitas vezes, realizamos sem perceber e que só acontecem porque existe amor. A mensagem de bom dia, o beijo na testa, um simples “eu te amo”, a preocupação, a vontade de levar até em casa e, na realidade, permanecer lá até o outro cair no sono. São pequenos momentos vividos à dois que evidenciam que o amor ainda mora em nossos corações.

É a prova de que, todos os dias, o amor passa pelo teste da rotina, sobrevive e ainda consegue crescer. Porque a rotina no trabalho já não é fácil, imagine então a do amor. E é aí que entram aquelas tais declarações de cinema, estas daí, quebram a rotina. São declarações que mudam todo o dia a dia e transformam nossos corações.  

Convide o seu amor para ficar, declare-se em pequenos e grandes gestos. Porque um amor para ser verdadeiro, só precisa existir. E quando ele está lá, as declarações vêm sem que você perceba, passam pelo seu dia bem de mansinho e fazem um bem estrondoso. 

Maíra Jara

+ artigos

Aquariana, sonhadora e apaixonada por fotografia e pela vida. Meio indecisa, mas persistente. Acredito no poder das palavras e dos olhares para tornar o mundo melhor!