por Vinicius Krywko

Novembro Azul, o mês dos homens

Bigode, cavanhaque, costeleta, barba, seja ela grande, pequena, por fazer, grossa, desenhada, desgrenhada ou até mesmo aquelas incompletas, fato é que nunca foi tão cool ter pelos no rosto.

Mas nesse mês de novembro, usemos essa barba não só por modismo, mas como uma bandeira contra o câncer de próstata. É o segundo tipo de câncer mais presente nos homens e segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), representa cerca de 10% dos casos de câncer. São estimados para 2014 cerca de 68 mil novos casos.

Ainda que a maioria dos homens diagnosticados com esse tipo de câncer não morra por causa dele, temos que nos conscientizar sobre a importância de fazermos exames preventivos. Temos que tratar nosso corpo como um carro, por exemplo, você tem um carro e sabe que tem uma peça que pode dar problema, existem duas opções: ou você faz manutenção preventiva, que no caso tem um custo mais baixo, dura menos tempo e você não terá dor de cabeça no futuro, ou você espera seu carro quebrar, coisa que sai mais caro, demora pra arrumar e você terá muita dor de cabeça. Por mais doloroso que possa parecer, tanto fisicamente quanto psicologicamente, uma revisão do seu “carro” é sempre necessária.

Conheço pessoas que não se cuidam por medo, por algum trauma, por perda de parentes ou amigos. O que eu posso falar é: você está dando péssimo exemplo, além disso, você deve pensar não só em você, mas também nos seus amigos, filhos, namorada (o), esposa ou marido e no transtorno que pode causar a eles, caso seu carro pare no meio de uma viagem.

Voltando ao papo de barba, nós homens podemos levantar a bandeira deixando a barba crescer nesse mês de novembro, também conhecido como Novembro Azul. Tente fazer uma pequena doação para institutos que cuidam dessa causa ou de qualquer outra (doar é importante), se não tiver grana sobrando - tipo eu que esse mês vou propor ao banco entrar na campanha de Novembro Azul e deixar minha conta no azul, porque ultimamente só tá no vermelho (risos) – doe seu tempo, um pouco de si para ajudar o próximo, são tantas pessoas que precisam de ajuda, que às vezes uma gesto pode mudar o dia de alguém. E ainda sobre a barba vão algumas regras: não corte, carregue seu machado para parecer um lenhador não um hipister, não apare nenhum pelo, tire fotos para posteridade, não aceite qualquer tipo de crítica e, (um pouco de cultura inútil) segundo algumas pesquisas, homens com barba transam mais.

Vinicius Krywko

+ artigos

Vinicius Krywko de Vasconcelos. Analista de mídias sociais. Viciado em esportes, conversas boas e amigos sinceros. Hiperativo. Apaixonado pela simplicidade dentro dessa complexidade que vivemos.