por Regine Luise

Pelo direito de sentir saudade

Ontem à noite eu sonhei com você e acordei com ainda mais saudade de quando estava dormindo. É que está tudo recente demais e não posso evitar a melancolia de músicas e filmes tristes. É que você ainda está em todos os cantos e lugares que eu olho. Está no livro que me deu de presente, está nas paradas de sucesso com aquele hit que um dia disse ser o nosso.

Está no perfume novo que eu comprei para te agradar, está na cor daquela blusinha que eu separei e você disse ser a sua cor favorita. Está no visor do celular com o registro de chamadas mais recentes. Está na pasta com fotos que eu nem cheguei a usar e estou com uma dó imensa de apagar.

Você ainda está na minha manhã, quando eu pego o celular e não tem mais a sua mensagem de bom dia. Está no meio da minha tarde, quando eu sabia que ia aparecer falando algo qualquer. Está na minha noite quando eu olho o relógio e sei que era hora de te ligar.

 

Ah, você está em toda parte. Está na placa de todos os carros vermelhos depois que eu decorei os números. Está nos meus exercícios e até naqueles que eu nem faço mais. Está naquele texto que eu queria que você olhasse. Está no meu final de semana que seria programado só para você.

Você está na faculdade, me espiando com o olhar e dizendo que tem ciúme dos alunos. Você está me incentivando na hora de fazer as provas e dizendo que tudo ficará melhor quando essa minha TPM passar.

Você está mesmo em todos os lugares. Principalmente na minha vontade louca de te ligar, te procurar, te querer por perto, de volta, para mim. Nessa disputa louca entre coração e razão, eu fico sempre sem reação. E já que não conseguimos achar uma solução, sei que o melhor é parar por aqui então.

Mas isso não vai mudar tudo que estou sentindo nesse momento. Nem esfregando, nem bebendo, nem chorando, nem pedi para Deus ou para o universo, hoje isso não vai mudar.

Porque nem todos os dias são para mostrar os dentes e hoje, só hoje, eu defendo o direito de sentir saudade. Saudade de você que está aqui, lá, em mim.

Regine Luise

+ artigos

Jornalista, poeta e romântica nas horas vagas. Regine Luise ama, doa, sonha, dramatiza, sorri, chora e escreve. Não necessariamente nessa ordem.