por Selma Godoy

Seja seu melhor amigo

O final de ano já está aí! Nunca o tempo passou tão rápido! Neste período, o corre-corre de confraternizações e de compras de presentes acaba exaurindo nossas forças. Além do que, o novo ano se apresenta com ares de poucos amigos. E, sem dúvida, os desafios para mantermo-nos positivos deverão ser grandes.

A atmosfera deste período de final de ano nos leva a fazer um balanço de tudo que temos feito. Será que estamos indo ao encontro dos nossos sonhos? Parece que a vida tem nos frustrado bastante, não é mesmo? Sem contar que, nestes dias, ainda que rodeados de gente, mais pessoas sentem solidão.

Mas saiba: Nada está acontecendo por acaso! Ao contrário do que pode se pensar, as coisas são e estão - por mais que não pareçam - meticulosamente elaboradas. A ordem divina é estabelecida através de leis e há objetivos diferenciados para cada um dos seres viventes.

Deus não fica espreitando para ver se as leis estão funcionando, ele criou um mecanismo perfeito! Uma das leis é a de evolução. No processo evolutivo a consciência vem se ampliando do coletivo, para o familiar e agora para o individual. Outra das leis da vida é a da funcionalidade – à medida do possível vamos falar de cada uma delas - Esta lei determina que tudo o que existe, só existe porque assim as coisas funcionam a favor da evolução.

Pelo que a lei estabelece, as situações que nos acontecem na vida, só acontecem e duram na medida certa para nos levar à lucidez. Não há punição, não há sadismo, não há exagero. É importante entendermos os mecanismos da vida para facilitar o processo, que é infalível. Mas a maneira como se desenvolve depende do livre arbítrio de cada um. Sabe aquele velho jargão? “Ou vai pelo amor ou vai pela dor?”, parece meio impositivo, mas é só funcional.  

Por mais que as coisas pareçam confusas, a verdade é que elas têm um sentido positivo e “funcional”. E mesmo não percebendo estamos sendo levados a nos tornarmos cada vez mais lúcidos. Uma estratégia que nos mantém em uma posição favorável é assumir responsabilidade. Responsabilizar-se é a habilidade para criar respostas. Portanto, nunca  se coloque como vítima, é contraproducente.

Quando tudo parecer confuso proceda da seguinte forma:

-Dê um tempo para você e procure fazer perguntas claras a respeito da situação que está vivendo, e observe o que se passa dali em diante. Se você tiver foco as coisas começarão a fazer sentido.

-Não se permita ser intransigente com seus limites provisórios. Perceba se você não está repetindo a atitude daqueles que o educaram.

-Seja seu melhor amigo, se dando carinho sempre, para o consolo ou o estímulo. Na doença, nas decepções, na solidão, nos contratempos e nos dissabores, se dê o melhor!

-Se você estiver extrapolando na queixa, na preguiça e no medo, se pegue com firmeza e repita: - Eu sou maduro, seguro e independente, e vou me comportar como tal!

Portanto, a proposta é a seguinte: Fique bem! Trate-se bem! Se dê todos os presentes! Não espere nada de ninguém!

Perceba que o elogio ou o apoio do outro não satisfaz tanto quanto o seu. É o orgulho que precisa do outro.

Estas são boas estratégias para que as coisas caminhem melhor. Dê a você o presente de Natal que daria à pessoa que mais ama. Mas, mais que isso, comece a considerar que esta pessoa é você!

Selma Godoy

+ artigos

Terapeuta de Aconselhamento. 20 anos pesquisando Espiritualidade, Comportamento e Psicologia.