por Selma Godoy

Dá pra ser positivo o tempo todo?

Há uma ideia generalizada de que quando se fala em aprimoramento pessoal se está falando em ser positivo, o que é um engano.

Há uma visão sobre o empreendimento de mudança de hábitos um tanto quanto reducionista e deturpada. Acredita-se que se deve torcer para que as coisas deem certo, só falar de coisas boas e imaginar as coisas saindo como se espera. Não é bem isso!

É bom reforçar que a imaginação, assim como a euforia, é uma fantasia ou ilusão, e o resultado é a decepção, e daí, só nos restará encarar a verdade. Nada é, foi ou será como imaginamos. A visualização unida à intensificação de sensações corporais são estratégias de “proceder como você quer se tornar”, para que o subconsciente que mora no corpo, comporte-se como você conscientemente age. 

 

Mas, lembrando Shakespeare: “Há muito mais mistérios entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia”. Uma pessoa genial, criativa e próspera empreendeu uma caminhada de desafios, aprendizagens e sacadas que deu trabalho e levou tempo.

O amadurecimento psicológico não se obtém do dia para noite. E o tal “pensamento positivo” não abarca tudo que se passa nesta empreitada. Veja que: perceber, conscientizar, experimentar, sentir, passar pelas revoltas e indignações, frustrações, fracassos e tentativas, na maior parte das vezes, inteiramente vãs, e por fim acabar aceitando, fazem parte do percurso de todos. E não podemos passar por cima e dar saltos na estruturação do equilíbrio e da sabedoria.   

Afinal de contas, este planeta é um laboratório que se compara a um mar onde mergulhamos para que nos tornemos organizadores de nosso próprio caos.

É obvio que com as novas descobertas a respeito de como funcionamos também desenvolvemos estratégias  para que nossa comunicação intrapessoal, seja mais efetiva e com isso se acelera o processo. Bem, a finalidade deste papo todo é chegar a um exercício diferente e um tanto desafiante, mas fundamental!
 
Reserve um tempo para olhar para tudo que trouxe frustração, decepção, dor, cansaço, desgaste, desde a mais antiga lembrança. Permita-se chorar, e sentir profundamente tudo aquilo que possivelmente você tenha 
fugido de sentir. Deixe-se lembrar de toda crise e todo momento difícil. Quanto mais esgotar as situações desagradáveis, melhor. Calmamente, deixe-se sentir tudo que for necessário, e depois perceba que a dor vai se tornando menos aflitiva, e siga estes sentimentos para perceber o que podem te mostrar.  

Tudo aquilo que vivemos tem um sentido e um objetivo e fazem parte de uma proposta de crescimento, que provavelmente não tenhamos condições de entender.

A profundidade nos leva a verdades que por vezes procuramos esconder de nós mesmos por medo de nos perdermos, mas só nos perdendo é que nós achamos. E assim como Shakespeare sacou, há muito mais coisas entre o céu e a terra que só o espirito pode nos descortinar. Certamente, ainda há sensações e prazeres que só através de nossos sonhos pudemos intuir. Os grandes sábios e gênios contam que antes de chegarem a iluminação passaram por momentos cruciantes. Ao que tudo indica, esta experiência pode encurtar caminhos, nos tornando mais sensíveis e vividos. 

Selma Godoy

+ artigos

Terapeuta de Aconselhamento. 20 anos pesquisando Espiritualidade, Comportamento e Psicologia.