por Guilherme Teles

Será que ainda podemos?

Eu acho que dessa vez você está realmente indo embora, eu senti que foi o nosso último abraço, era o último momento entre nós como um só. A partir de agora deixamos de ser uma só carne, um só coração, seremos dois, mas cada um seguindo a sua senda.

Para os outros eu digo que está ‘tudo bem’, que esse era o melhor pra nós, mas por dentro eu me consumo em melancolia, pois sei que dificilmente conseguirei seguir meu caminho sem você!

A maioria das pessoas diz que você é como uma droga para mim, que me faz mal, mas quer saber de uma coisa, nesse momento tudo que preciso é de mais uma dose dessa deliciosa e viciante droga que você se tornou para mim.

Não me importo em saber disso, eu não ligo de ser viciado em alguém, assim como sou viciado em você, pois é você que desperta aquilo que há de melhor em mim, esse vício é tudo que preciso, por isso gostaria de mais um instante com você!

Quando eu penso em um novo momento ao seu lado, eu fecho os olhos e imagino sua mão na minha, eu consigo ouvir a sua voz e ela me faz lembrar a época onde eu conseguia encontrar motivos para ser forte. Você dizia que me amava, mas agora você nos abandonou... É aí que a gente se vira e pergunta. Será que ainda podemos?

Eu vou continuar andando na linha pra te convencer e jamais você vai ouvir de mim um ‘adeus’, não vou desistir daquilo que me faz crer que ainda dá pra ser feliz amando e sendo amado.

Através do vento, da neve ou da chuva, eu vou achar o caminho da nossa casa, querida. Para voltar aos seus braços, saborear o seu beijo e me sentir completo.

E eu farei tudo isso sem olhar pra trás.

Por isso meu amor, eu estou aqui, esperando o seu chamado, sempre!

Guilherme Teles

+ artigos

Um futuro publicitário que pensa que sabe escrever, flerta com a música em seus momentos de lazer e adora humor. É o tipo de pessoa que ainda acredita na bondade do ser humano e na felicidade baseada nas coisas simples da vida.