por Vinícius Francis

Transforme-se verdadeiramente - Parte 1

Interessante essa nossa vida na Terra, porque desde pequenos somos ensinados a nos comportar da forma como os outros acham certo. Entramos neste mundo com um livro de regras e conduta, tudo nos é dado, como falar, como andar, como agir, como viver, enfim, regras dessa bendita sociedade. No entanto, ao levarmos isso pra prática, podemos até nos tornar algo “aplaudível” ao mundo, porém, agindo assim, assinamos o nosso fracasso, a nossa infelicidade pessoal.

Lembro-me de quando eu era adolescente e comecei a manifestar meus dons mediúnicos, falavam que eu precisava de ajuda e que era desequilibrado, no entanto, o louco, hoje, ajuda muita gente que se dizia sã e normal. Deus me livre ser normal como esse povo que vive de aparência, prefiro ser taxado de "louco", pelo menos alcancei a grandeza de ser eu mesmo, sem falsidades e sem precisar me esconder atrás de máscaras ou de papel pra sociedade. Nunca quis ser algo para as pessoas, sempre segui o que fazia sentido pra mim, se me reprimi em alguns momentos, foi em nome dos princípios que tinha na época.

A pior doença do ser humano é a doença moral, a auto-manipulação com o fim dos aplausos externos. A pior desgraça de um homem não é perder dinheiro, sofrer de doenças ou infortúnios de todos os tipos, é ser vítima da própria vaidade e não ter coragem de ser quem realmente é. É reprimir-se e destituir-se do melhor da vida por medo, por orgulho, por pose. É não se dar a felicidade por escolher se importar demais com que os outros vão pensar, sendo vítima e coitadinho do mundo. Graças a Deus, dessa doença eu nunca sofri muito e não sofro. Sou livre, tenho o maior tesouro que se pode conquistar, a liberdade de ser quem eu sou e quem Deus é em mim.

E nossa conversa hoje vai ser nesse nível. Porque eu já vi que por aí está cheio de gente querendo ser feliz. Mas, só querendo né? Porque atitude pra fazer isso acontecer, não tem nenhuma. É muita lábia, é muito "discurso de espiritualista" e muito espetáculo sem conteúdo. Porque eu escrever no “Face” ou aqui no blog que sou feliz, realizado e uma pessoa de luz é molinho, molinho. Agora, quero ver é no dia a dia, na prática, nos frutos.

Daí você vai observar na vida da pessoa cheia de discurso e descobre que ela é a maior “carentona” da cidade, possessiva, chata, pegajosa. As coisas não andam, a vida não muda, aquela mesma situação de dez anos atrás que se mantém. Me fale, isso é espiritualidade? Me diga se isso é viver na luz? Não meu amigo, isso é “treva” pura. Tem esses que citei e têm os outros que não saem do lugar (mentalmente), que leem, leem e leem e parece que a verdade não entra na cabeça. 

Mas é claro que não entra, em cabeça que tem lixo a luz não habita. Diz que quer mudar, mas conserva as mesmas ideias, os mesmos comportamentos, as mesmas vaidades. Hiiiii... A vaidade! Até quando, meu caro, você vai ser escravo das aparências? Até quando vai viver em função do mundo e das expectativas dos outros? Vai passar a vida acorrentado na família, na tradição sanguínea? Caro leitor, se você soubesse o quanto essa postura é nojenta e destrói a sua felicidade... 

Aliás, você sabe sim e não muda porque não tem coragem de encarar seus medos e dificuldades. Prefere ser a vítima, o falso humilde de quem todos se aproveitam. Esse personagem é interessante, porque disfarça a nossa arrogância pessoal. Porque quem se põe como coitadinho é arrogante, quem negligencia a própria força é inimigo declarado de si mesmo, esnobe, falso. A intenção desse tipo de ser humano é passar pra todo mundo uma imagem de “fragilzinho” que precisa de proteção e amparo. Sinto muito, eu sou direto, acho melhor colocar as coisas de um modo bem "claro". Se minhas palavras te parecem duras, sinta-se à vontade em encerrar por aqui a leitura, porque é necessário muita humildade pra ler certas "verdades". Você tem? Ótimo, então, continue lendo.

Continuando, eu sei o que gente carente é, VAMPIRO. Você acha que vampiros são aqueles maldosos que chegam querendo o mal, como nos filmes? Não, vampiros são aquelas pessoas com cara de boazinhas, bondosas, excessivamente generosas e que nasceram para “servir ao mundo”. Eu corro léguas desse pessoal. Isso não é humildade, é um comportamento forjado pra conseguir colo. Olha como a pessoa é ardilosa! Se faz de vítima pra ganhar atenção e afeto. No entanto, ao agir assim, a pessoa anula seus poderes, se coloca pra baixo. 

E quando nosso autovalor desce, todas as coisas boas de nossa vida vão junto, para o buraco. Ninguém consegue bons resultados com comportamentos falsos, porque a energia que impera nessa situação não é verdade. É hora de mudança, é preciso seriedade para levar a nossa vida, se o intuito é realmente ser feliz. Vamos continuar conversando sobre tudo isso na próxima mensagem, pois o nosso assunto ainda não acabou.

Seja feliz!

Confira também: Parte 1 • Parte 2

Vinícius Francis

+ artigos

Vinícius Francis, escritor, canalizador e terapeuta metafísico, cujo trabalho desenvolve-se com base na psicologia humana, espiritualidade, leis do Universo e magia branca, com o objetivo de despertar a consciência divina e resgatar a essência do ser, ofuscada pela educação social e religiosa distorcida.
Sua filosofia de vida é pautada numa espiritualidade independente, onde a felicidade e bem estar são o alicerce de uma vida rica e satisfatória.
Loja Virtual: os-filhos-da-alva.blogspot.com.br