por Helyete Santos

Tudo só para as mulheres

Fica na responsabilidade da educação, principalmente, a estabelecida pela família, o que nos tornamos hoje. Somos a somatória do que recebemos como verdade no decorrer da nossa vida - nossas conquistas. Compartilhamos nossas dores e alegrias, muitas vezes como um fardo e tiramos, de cada momento, grandes aprendizados, conforme estivermos preparadas para a aceitação dos mesmos. É por isso que os mesmos fatos se repetem. Se não aprendemos em uma aula da Vida, teremos a repetição para um aprendizado mais apurado.

Fica, como um vilão, o que se aprende impulsionado pela visão, ainda retrógrada da sociedade e, diretamente aos nossos ouvidos, pela família que nos acolheu desde os primeiros dias de nossa Vida.

É aí que entramos como responsáveis, para o resto da Vida, como cuidadoras  do marido, da casa, dos filhos, da manutenção do lar. Que horror! Ainda é coisa de mulher! Sabemos que homens menos comprometidos com os deveres estipulados exclusivamente para eles, como “ só de homens”, tem compartilhado desses afazeres, mas mesmo assim, o fardo maior é das mulheres.

As mulheres são guerreiras, levam à frente, e com coragem, seus domínios, afetos, carinhos e grandes descobertas. Mulheres que se cansam, mas temem pela felicidade dos seus, se arrastam, tomam um copo de água e continuam caminhando sem se queixar e, mesmo que o façam, continuam dedicando cada minuto à doação de amar.

A todas nós, neste mês de Maio e em todos os dias que se seguirem, um brinde feliz ao sucesso de nossas conquistas!

Helyete Santos

+ artigos

Sou paulistana. Atualmente, moro na cidade de Santos. Atuei como professora de Redação e tenho vários livros publicados sobre técnicas redacionais, como Pais e Filhos Entre Erros e Acertos Editora Edicon. Escrever traz à tona o modo sensível de se viver.