por Equipe Horóscopo Virtual

10 coisas que você não sabia sobre a Umbanda

Não é segredo para ninguém que ainda existem muitos preconceitos com determinadas religiões – aliás, qual religião não sofre com um pouco de preconceito? Mas, principalmente com as religiões espíritas, o preconceito costuma ser ainda maior.

É importante que conheçamos as religiões e no que cada uma delas acredita antes de definirmos nossa própria opinião a respeito. Por isso, hoje, o Horóscopo Virtual separou 10 curiosidades que poucas pessoas sabem sobre a umbanda, uma religião que sofre muito preconceito no Brasil. Confira abaixo!

Mistura de várias religiões

A primeira curiosidade da lista tem a ver com o surgimento da umbanda que, na verdade, é uma mistura de várias religiões. A palavra umbanda é uma derivação de outra palavra da língua quimbundo, idioma angolano – a palavra m’banda, que significa curandeiro. 

A umbanda combina elementos descobertos e desenvolvidos por Alan Kardec, portanto, do espiritismo kardecista, elementos de cultos afro-brasileiros e indígenas, além de elementos de cristianismo, catolicismo e esoterismo. 

Imagens católicas

O uso de imagens de santos católicos começou nos primórdios da religião umbanda, quando os senhores das senzalas aplicavam castigos físicos em seus escravos, como chibatadas, por exemplo. 

À época, os senhores utilizavam as imagens de santos para protegerem a si próprios e seus familiares de macumbas dos escravos feitas como vingança aos castigos. Os senhores obrigavam os negros a cultuar os santos católicos. Com o tempo, os santos foram associados às entidades da religião espírita. 

Roupa branca

Quando não se tem nenhuma cor, se enxerga preto; mas, quando se mistura todas as cores, obtêm-se branco. O branco é a somatória de todas as cores. Como cada cor tem suas propriedades, tipo de energia e função, usando o branco você tem todas as coisas boas advindas das cores, incluindo a pureza e a paz do próprio branco. 

Além disso, a roupa da umbanda deve ser levada muito a sério e deve ser tratada com respeito. Por isso, quem as usa deve lavá-la e guardá-la separa de todas as outras roupas que possui. Também não se pode andar na rua com elas, pois deve ser posta apenas no local do culto. 

Bater a cabeça

O ato de levar a cabeça ao chão representa a submissão do ser humano perante as entidades e a natureza. É sinal de respeito à religião e à mediunidade, assim como para com todas as entidades presentes. Isso mostra que o ser humano sabe se pôr em seu devido lugar. 

Além disso, esse ato também representa um agradecimento. Mostra que o ser humano é grato por aquele momento e pela ajuda que está recebendo. Portanto, o ato de bater a cabeça é visto como um ato indispensável.

Atabaques

Os atabaques recebem grande importância na umbanda, assim como os ogans, que são os músicos percussores deste instrumento. Considerados objetos de muito respeito, assim como as roupas brancas, os atabaques devem ser mantidos sempre com muito cuidado. 

E por que são tão importantes? De acordo com a religião, o toque e a vibração do instrumento ajuda o médium a incorporar de forma mais fácil e natural. E cada batida tem uma finalidade diferente.

Velas

O uso das velas na umbanda tem uma razão específica, que é muito diferente da razão do uso das velas para a religião católica, por exemplo, mesmo pelo fato de que a prática de uso desse item na umbanda surgiu graças ao catolicismo. 

É como se a vela trabalhasse na função de um sinalizador para os espíritos, indicando um caminho mais iluminado e fácil para que eles se aproximem. 

Exus e quiumbas

Ao contrário do que muitos pensam, exus não são malvados ou mal-intencionados. É o extremo oposto, na verdade. Para o umbandista, os exus são entidades sérias, trabalhadoras e guardiãs, ou seja, buscam ajudar. 

Na verdade, o que muitos chamam de exus são os quiumbas, entidades de mau comportamento. Os quiumbas não estão interessados em ajudar. Na verdade, fazem o que querem. 

Reencarnação

Para a umbanda, a reencarnação existe sim. Os espíritos desencarnados estão entre nós com a função de nos ajudar e nos darem avisos. Ou seja, não estão aqui à toa, de acordo com a doutrina. 

Mas não é qualquer espírito que se manifesta. Entram em contato aqueles que já são muito evoluídos e, por isso, não precisam mais reencarnar em outros corpos. Nessa fase, eles conseguem se manter como espíritos para entrar em contato com os humanos na intenção de ajudar os espíritos reencarnados a manter o percurso da evolução. 

Ramificações

É muito comum religiões receberem, com o tempo, ramificações. As ramificações nada mais são do que a própria religião em questão, mas com alguns costumes e pensamentos diferentes da ideia original. Na umbanda, existem várias ramificações:

- Umbanda de mesa branca
- Omolokô
- Umbanda traçada (umbandomblé)
- Umbanda Esotérica
- Umbanda Iniciática

Macumba

Talvez o maior equívoco sobre a umbanda diga respeito à macumba. Macumba, na realidade, é um instrumento musical (um tipo de reco-reco) usado durante as giras da religião. 

O significado pejorativo e negativo do termo foi surgindo com o passar do tempo. Mas, na realidade, no real significado e sentido do termo, macumba é o reco-reco utilizado nas giras, e o macumbeiro é aquele que o toca.


Artigo escrito por Giovanna Frugis da Equipe Horóscopo Virtual.

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.