por Joana Prata

Amor em tempos de cólera

Não sou nenhuma especialista em relacionamentos, mas por alguma razão, minhas amigas e amigos sempre vieram à mim para conselhos amorosos. Minha vida amorosa é uma bagunça – acreditem! – mas de alguma forma, no meio dessa bagunça acho que sempre fui capaz de encontrar a mim mesma; talvez por isso as pessoas me peçam conselhos amorosos. Depois de lágrimas e infinitas horas de conversa tanto ao vivo quanto por telefone, skype – maravilhas da vida moderna – e afins, resolvi escrever sobre minhas experiências para tentar organizar melhor esse arsenal de casos, e causos, de amor que tinha guardado no meu arquivo emotivo.

Para organizar histórias do coração faço uso da razão com a técnica infalível de criar listas! Por isso, vemos abaixo alguns fatos que penosamente fui colhendo ao longo dos anos, das eras, das estações - quem sabe contar direito quando a emoção toma conta?!

1: Seres humanos gostam de drama e sofrimento Em algum momento da história, algum gênio da lâmpada nos fez acreditar que esse mundo é um de expiação e sofrimento. Besteira! Esse pensamento é o maior causador de discórdia e aprisionamento que existe, e alimentamos essa ideia continuamente, deixando o ego e a racionalidade dominarem nossos coraçõezinhos. Todo mundo quer amar e ser amado. Essa é a premissa da vida e dos relacionamentos humanos. Ninguém deseja relacionar-se para ser abandonado ou enganado. No entanto, mesmo quando o amor abre as portas do coração – por medo do sofrimento, geralmente – acabamos fechando as comportas e convidando o drama, para então, dormirmos abraçadinhos com a racionalidade. Na maioria das vezes, a racionalidade pura e aplicada trouxe-me nada menos que frias e longas noites com meu ego. Arg! Por outro lado, a não-utilização da sua capacidade de pensamento pode fazer com que você vague por aí sem direção ou discernimento…

2: Com tantos meios de comunicação a comunicação humana anda cada vez mais precária O que eu vejo cada dia que passa é que o maior causador de problemas de relacionamentos, sejam eles de amizade, amorosos ou familiares – os relacionamentos profissionais precisam de um filtro social específico – é a falta de comunicação. Passamos o dia conectados em diversos meios de comunicação, mas perdemos a habilidade de falar do coração. Achamos que falar com honestidade e abertura sobre sentimentos é para os fracos ou depressivos amantes de livros de autoajuda. Com boa comunicação e amizade os relacionamentos humanos vão longe, e isso só é possível quando entendemos que abrir o coração não enfraquece, mas fortalece.

3(Para mulheres, especialmente): Mulheres adooooram um bom drama Mulheres, abandonemos o drama! É quase uma condição pré-existente no cromossomo feminino que uma coisa só pode ser boa se tiver uma boa dose de drama, e quando tudo vai “muito bem, obrigada” com o relacionamento, arranjamos qualquer besteira para sofrer e ter aquela velha conhecida DR (discussão de relacionamento). É bem verdade que as mulheres são, em sua maioria, mais emotivas e em contato com os sentimentos, mas nós sofremos de verdade quando perdemos noção do nosso valor em um relacionamento, e isso é um dos maiores erros que continuamos cometendo…

4 (para homens, especialmente): Falem dos sentimentos Ok, mulheres são intuitivas e quando amam tem a capacidade natural de conectarem-se com o sentimento do parceiro, mas não usamos bolas de cristal o tempo todo, queridos! Dizer para suas amadas como sentem-se fortalece o relacionamento porque constrói bases de amizade e confiança. If you love her, let her know. If you don’t, let her go.

5 (para ambos os sexos): Tentar mudar o outro é um curto caminho para a discórdia Cada pessoa tem suas particularidades e sua essência individual. Um relacionamento é uma troca de amor, de carinho, de fluidos, de atenção, tudo numa via de duas mãos. Quando somente uma pessoa doa, cede, não é amor, é submissão. Reconhecer o valor pessoal e a individualidade de cada um, com respeito e delicadeza, faz um relacionamento crescer feliz e são.

6: Conhece-te a ti mesmo Máxima socrática, a sabedoria do Oráculo de Delfos continua mais atual que nunca!

Autoconhecimento é a chave da felicidade e ninguém nunca morreu porque leu um bom livro de autoajuda ou fez sessões de análise. O importante é buscar sua fonte de autoconhecimento, o que lhe leva a aprofundar-se nos seus próprios processos, seja lá o que for. Viagem, exercício físico, psicologia ou astrologia, utilizados com sabedoria, nunca fizeram mal a ninguém; e o que precisamos, urgentemente, é parar de ter medo de nossas próprias profundezas.

7: Somos corpo, mente e espírito unidos num só coração

Termino com um versinho que escrevi e me alegra sempre, na esperança de um amanhã mais amoroso:

" Quem ama nunca está sozinho. O Amor é o destino, O Amor é o caminho, para ficar tudo azul, tudo azulzinho... 

Que nos amemos uns aos outros!

Joana Prata

+ artigos

Joana Prata é atriz e cineasta por formação, bailarina e cantora por vocação; corpo, alma e coração. Joana tem um caso de amor com as palavras é autora do blog de viagem e autoconhecimento.