por Paulo Bregantin

Como podemos agir frente ao desafio do NOVO?

Internet, redes sociais e informações instantâneas são processos sem volta e, por isso, não temos como conter e nem tentar voltar esse processo. Quando temos consciência disso podemos iniciar um aprendizado e desenvolvimento de ações que diminuam o impacto sobre a normalidade da vida.

Toda novidade tem duas situações normais: As primeiras são: medos, ansiedade, estresse, desconhecimento. As segundas são a pacificação e adaptabilidade. 

Hoje, estamos vivendo os primeiros passos desse processo, ou seja, medos, ansiedade, estresse e desconhecimento. Isso acarreta disfunções físicas e psicológicas nas pessoas. 

1- O medo que é parte desse processo vem acompanhado de suores, dores no corpo, insônia, angústias, ente outros sintomas físicos; na parte psicológica é a sensação de não ser aceito, ficar fora do convívio, afastamento angustiante, neuroses e nos casos mais raros o desencadeamento de síndromes do pânico, fobias e distimia. 

2- Ansiedade: Como sabemos a ansiedade é uma sensação de excesso de expectativas do futuro e formas incontroláveis sobre a “velocidade das informações na mente”. Com as redes sociais e internet a ansiedade aumentou, pois as expectativas aumentaram, essas são do âmbito pessoal, social e profissional. Existe a cobrança dessas frentes exigindo sempre conhecer mais, criatividade maior, sensações de perder o “barco” das informações, crises de excessos de informações desnecessárias, etc. 

3- Estresse: O estresse é um dos maiores problemas das pessoas do século vigente e, deu início em meados do século XX e hoje, está instaurado em nossas vidas. O estresse um pouco diferente da ansiedade nos afeta no dia a dia, ou seja, no que temos que fazer no aqui e agora, isso acontece, pois desde a hora que acordamos somos cobrados a pensar, planejar, falar, agir e reagir ante as questões que aparecem na hora do café, no transito para chegar ao trabalho, no próprio trabalho, no almoço, na volta para casa, no jantar, nos passeios, etc. Pois isso que descrevi deveria ser algo normal, porém, hoje se transformou em um processo estressante e, às vezes, angustiante. A sensação é que “antes” não agíamos assim, porém, na verdade apenas mecanizamos em excesso nossos afazeres e, com isso se transformou em algo estressante. Até mesmo nossos finais de semana que deveriam ser para “descanso” ou ócio produtivo, nós transformamos em processos de obrigatoriedade ficar fazendo algo. Quem não faz algo não está produzindo e não produzindo fica fora do chamado mundo virtual. 

4- Desconhecimento: O desconhecimento das informações que chegam em muita velocidade desencadeia em nossa mente áreas que ainda não sabíamos que existiam, ou seja, nosso sistema límbico está reagindo a demanda de informações e, ainda não entendemos “o que” e “por que” e muito menos “como” essas coisas funcionarão no futuro. Desconhecimento é algo normal para o ser humano, porém hoje em dia isso parece uma doença, ou seja, não conhecer sobre algo ou alguém se tornou uma cobrança diária e excessiva, isso causa um “medo” do desconhecimento. Lembra que explorar o desconhecido é um processo normal para o ser humano.

A segunda parte é pacificação e adaptabilidade, bem, essas duas ainda estão um pouco longe de nos atingir, pois como todo processo novo da humanidade é preciso ter tempo para que a pacificação e adaptação aconteçam. 

Podemos sugerir algumas possibilidades que, quem sabe, serão úteis para a espera mais tranquila nesse processo de transição e conhecimento do novo.

1- Manter a calma frente ao novo: O novo sempre traz consigo o medo, a ansiedade, o estresse e desconhecimento. Sabendo disso, podemos falar para nossa mente que é necessário tempo para aprender o novo. 

2- Diminuir o ritmo diariamente; A exigência do novo é urgência, porém, como sabemos que o novo necessita de tempo, podemos diminuir o ritmo de aprendizado e, saber que o que não aprendi hoje posso aprender amanhã ou depois, pois o aprendizado é urgente, porém deve ser algo programado e priorizado.

3- Autoconhecimento e autoentendimento: A pacificação e adaptabilidade acontece quando nos conhecemos e nos entendemos, pois isso facilita as tomadas de decisões e a forma de ação frente cada situação da vida e frente às pessoas.

Não existe poção mágica frente ao que vivemos hoje em dia, é fundamental sabermos que o NOVO sempre chega e, com ele virá tudo que descrevemos acima, porém, ter a certeza também que tudo pacificará e se adaptará. 

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin