por Luiz Carlos Carvalho

Iridologia – Conheça mais sobre essa técnica

O que é Iridologia? É uma ciência milenar que permite conhecer através da íris, aspectos físicos e emocionais do indivíduo.

Seu principal objetivo é detectar distúrbios em evolução, antes mesmo de o indivíduo apresentar sintomas, e precocemente intervir, para que tal distúrbio não evolua para desequilíbrios físicos ou mentais.

Conforme pesquisa científica, há evidências que a Iridologia já era utilizada há mais de 8 mil anos. Mas será que conhecemos bem esses companheiros que nos permitem ver o mundo? Sabemos que existem ditados que os colocam em posição privilegiada, afinal “os olhos são as janelas da alma”.

 

O que a Iridologia pode revelar:

*Os principais nutrientes que o organismo necessita;
*Órgãos, glândulas inerentemente fracos;
*A resistência ou debilidade da constituição do indivíduo;
*Qual órgão que necessita de reparo e reconstituição;
*O grau de toxidade instalado nos órgãos como um todo;
*O estágio de atividade e inflamação dos tecidos;
*As áreas potencialmente doentes do organismo;
*Assimilação deficiente dos nutrientes;
*Miasmas;
*Estágios pré-clínicos do diabetes, condições cardiovasculares e outras doenças;
*E muito mais.

Na Iridologia, o trabalho é dirigido aos atendimentos e cursos em São Paulo e também em outros Estados, a receptividade é fantástica, porque é uma técnica antiga e agora as pessoas reconhecem os benefícios, porque pode não só tratar problemas físicos, como também mentais e emocionais, e o grande sucesso desta ciência é que ela atua de forma profilática com até um ano de antecedência.

É exatamente esta área que quero escrever sobre as questões de como podemos prevenir as nossas doenças.

Adepto da MTC (Medicina Tradicional Chinesa), toda emoção corresponde a um órgão e, por consequência, de forma antecipada tratamos aquele órgão e ponto.

Exemplo: Deficiência visual: antes de ser um problema localizado (olhos, órgão de choque) pode ser uma questão hepática (doença específica).

De acordo com a ciência, a íris tem terminações nervosas que estão conectadas em todo o sistema nervoso, e que certas alterações no relevo da íris são indicativas de problemas com outros órgãos e parte especifica do corpo (órgão de choque).

Exemplo: Sistema venoso debilitado (órgão de choque) em vez de VARIZES (doença específica).

A cartografia da íris está fundamentada em pesquisas laboratoriais baseadas na embriologia, fisiologia e anatomia topográfica corporal onde foram comprovadas cientificamente as áreas reflexas na íris. Ela representa todas as partes do organismo em sua topografia. Isso é possível graças as Sistema Nervoso Autônomo, formado por duas cadeias nervosas: Simpático e Parassimpático. Eles enervam todas as partes do organismo e levam até o cérebro, impulsos sobre a situação de cada região (sistema nervoso central) e até a íris onde essas impressões ficam registradas.  A íris informa imediatamente, com segurança, o estado de debilidades genéticas do individuo antes de iniciar os processos sintomáticos e patológicos.

Enquanto a Iridologia Clássica trabalha especificamente a parte orgânica, o Dr. Denny Johnson, nos possibilita entender as complexidades da mente humana que molda e dá forma ás nossas personalidades e relacionamentos, bem como introversão e extroversão.

São quatro os padrões comportamentais. Uma vez identificado o padrão comportamental da pessoa, digamos que ela passa a se conhecer melhor, torna-se mais produtiva, criativa, familiar, sociável, etc.

Este método está sendo utilizado em processos de recursos humanos (RH). Cuja satisfação pelo trabalho aumentam em média até 30% a produtividade e criatividade.
E é dessa forma que quero abordar, colocando um ponto para discussão a cada edição.
  

Luiz Carlos Carvalho

+ artigos

Terapeuta naturalista. Há mais de 20 anos na área da saúde. Especializado em varias técnicas. Reiki sistema tradicional, USUI nível de Mestrado (Instituto A Luz). Certificado Internacional com Magnified Healing (Michigan USA). Acupuntura e Shiatsu (Eoma). Iridologia Orgânica e Comportamental, cromoterapia, entre outras.
Comunicador da Web Rádio: www.compartilhandoosaber.com.br