por Andrea Pavlovitsch

O que fazer para o relacionamento dar certo?

Eu sempre escuto esta pergunta. E sempre respondo a mesma coisa: se eu soubesse, estaria rica. É fácil pensar que exista uma fórmula pronta, ainda mais para nós, mulheres. As mulheres sempre acham que precisam fazer alguma coisa. E que se não deu certo é porque elas não fizeram a coisa certa. Por isso esta obsessão por livros de autoajuda e por artigos que resolvam as nossas vidas amorosas.

Uma vez um ex-namorado me disse: “Andrea, para mim é simples. Ou combina ou não combina”. No dia juro que fiquei muito brava. Como assim ele não queria tentar mudar ou me fazer mudar para que as coisas dessem certo? Não fazia o menor sentido. Hoje, depois de alguns bons tombos depois dele, penso que ele esteja certo.

Eu já vi tantas mulheres mudarem, da água para o vinho, depois que começam uma relação. Elas passam a gostar de esqui (mesmo odiando frio), param completamente de beber, mudam a cor do cabelo. Com o tempo vão se tornando nós. “Nós gostamos de ir a tal lugar, nós queremos uma casa de campo”. Vão tornando-se insossas, sem graça. Falta vida na pele, no coração, na alma. O parceiro, claro, vai perdendo o interesse (mesmo porque ninguém gosta de namorar um espelho) até que conhece aquela mulher que ainda é ela mesma. E a primeira dança!

E de quem é a culpa? Do parceiro, marido ou namorado? Adoramos fazer o papel de vítimas nesta hora dizendo que eles nos deixou a ver navios, coitadinha de mim. Na verdade,ele só nos deixou porque nos deixamos antes, há muito tempo. A mulher por quem ele se apaixonou não existia há anos, escondida por detrás daquela que ela achou que ele iria querer.

Claro que os homens implicam com a gente! E a gente com eles! Faz parte. Mas isso não quer dizer que você deva sair correndo, a não ser claro, que tenha entendido que aquilo é de fato uma mudança necessária para você e que você está pronta para ela. Depois da separação então, é muito interessante. As mulheres voltam novas! A pele está linda, os cabelos perfeitos, estão mais altas, com 20 quilos a menos e muito felizes. Mesmo sem o bofe! Pois é, porque quando elas se perderam deles, acharam-se novamente. Puxa gente, que coisa mais chata, né? Ter que passar por separações, por problemas só porque achamos que precisamos e devemos ser diferentes. Que tal simplesmente aceitar que, se o cara gostou de você é porque gostou, não duvide disso.

Não duvide que você, assim como você é amável, gostável e desejável! Você é e ele está lá com flores na sua porta para te provar isso. Nada de mudar o tom do cabelo, a não ser que você sempre tenha tido esta ideia em mente e faltava grana, por exemplo. Nada de fazer de conta que é uma menina frágil quando é uma perua, ou fingir ser a sexy girl quando tudo o que você queria era um DVD e amorzinho no sofá.

O mundo tem de tudo. E existem parceiros diferentes para nossas diferentes necessidades. Respeite aquilo que você é para dar certo e não o contrário. Tenho certeza de que, quando você assumir isso, nunca mais vai pensar em como fazer para dar certo.

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.