por Silvia Malamud

O que significa sonhar com animais?

Cobras, lagartos, macacos, onças, tigres, corujas e toda sorte de animais podem povoar de modo inusitado, os nossos mais diferentes sonhos.

Certa vez uma paciente relatou um importante sonho onde se percebia  meia acordada, meia dormindo. Num determinado momento deste impasse, como se estivesse numa espécie de transe, com aquela sensação conhecida por todos nós,  quando vez por outra somos levados a situações que nos fogem totalmente do controle causando total estranheza, mesmo que dentro dos nossos próprios sonhos. Ela se encontrava exatamente neste estado quando em seu “sonho”, deitada em sua cama, abre os olhos e se depara com uma enorme coruja, flutuando um pouco acima dela, como se estivesse quase deitada olhando-a de frente, enorme e com os olhos também abertos olhando bem dentro dos olhos dela.

Num determinado momento desta contemplação recíproca, a coruja aproxima-se muito, até que ambas, coruja e sonhadora entram no mesmo compasso respiratório. Uma emoção bastante intensa que chega no final, quando a coruja literalmente pisca unindo os seus olhos com o dela. A sensação é a de fusão total com o animal. Por alguns segundos que não se sabe ao certo quanto tempo durou, a paciente tem a certeza de que parte dela é humana e de que a outra parte é coruja. A partir desta experiência, ainda em seu sonho, sobrevoa alguns lugares, aterrissa em algumas árvores e sente o clima da noite como jamais havia sentido. Sente uma profunda calma interior aliada a uma certeza calma e inexplicável de sabedoria. Olha como se tudo soubesse e está em profunda e atenta paz interior. Sente-se bem viva, sábia e observadora.  Sua respiração é o respirar de uma coruja. Tomou consciência de que estava meia humana e meia coruja e acordou.

Quando em sessão de terapia, a paciente revela que há duas semanas surpreendentemente havia se deparado com corujas nos lugares mais inusitados. Uma no final de semana quando em viagem ao interior e outra na cidade em que residia.

Por outro lado, em sua terapia, após um período de bastante caos emocional, a paciente alcançara uma compreensão bastante lúcida sobre todo os seus processos e ainda havia se modificado de modo surpreendente. Parecia ter uma mesma vida, mas ela estava diferente, havia mudado a sua visão de mundo, as suas atitudes e as percepções, que agora estavam muito mais seguras. Com isso, mesmo na mesma vida em que estava, muita coisa nova se inaugurava.

O sonho com a coruja, portanto, lhe trouxe a compreensão simbólica de que estava tudo certo e que seus instintos estavam totalmente alinhados com o seu momento emocional e de vida.

No aspecto transcendente, que também foi pesquisado, encontramos a possibilidade deste ocorrido nas abordagens xamanicas, descobrimos um fenômeno que ocorre quando a pessoa se fusiona com o seu animal de poder.

Como sempre, aqui está mais um exemplo de como nossos cérebros quânticos incansavelmente nos ajudam a ampliar as nossas consciências por meio e lugares onde muitas vezes as nossas mentes conscientes desconhecem. E agora, uma pergunta que não quer calar, como que acessamos tais informações que tanto nos ajudam em nossos crescimentos? Seriam informações introduzidas pelos nossos supostos protetores? Seriam as nossas mentes “parabólicas” que fariam o serviço buscando respostas neste universo informacional? Ou quem sabe, poderia ser os dois?

Talvez jamais saberemos a resposta, mas uma coisa é certa, sempre, por mais indiferentes ou difíceis que sejam traduzir os significados dos sonhos, eles sempre nos trazem importantes informações para o nosso crescimento, portanto toda busca de entendimento é valida, afinal, o quanto mais despertos, melhor!

Silvia Malamud

+ artigos

Silvia Malamud é psicóloga clínica, terapeuta certificada em EMDR e Brainspotting, especialista em sonhos e autora do livro "Projeto Secreto Universos" e "Sequestradores de Almas" da Editora Gente.