por Vinícius Francis

O sofrimento de resistir às mudanças

Por mais que o sofrimento acabe sendo um grande estímulo à evolução e progresso dos Seres do Universo, a proposta do Criador sempre será a expansão através do Amor. O atrito gerado pelo sofrimento é necessário quando a ignorância reveste a consciência do Ser como uma espécie de película, não permitindo que ele assimile as coisas por inteligência. Então, neste caso, o único jeito de conduzir esse espírito no caminho evolutivo é através do estímulo gerado pela própria experiência e os naturais desafios que se revelam dentro dela. 

Mas quando falamos de nós, seres humanos, a evolução por estímulo (sofrimento) pode ser minimizada significativamente. Visto que temos a capacidade de intelectualizar o que vivemos e compreender a partir da inteligência as coisas que nos ocorrem. Claro que, na real, não é assim que acontece. O fato de termos condições de evoluir pela inteligência não quer dizer que faremos isso, até porque temos livre arbítrio e um ego educado por preceitos bastante distorcidos e na maioria dos casos, nem um pouco funcionais dentro das leis do Universo. 

E daí, graças a essa educação herdamos os comportamentos sabotadores como má vontade, autossabotagem, baixa autoestima, etc... Um monte de besteira enfiada em nossa goela que nos faz bater a cabeça daqui e dali. E até que encontremos o autoconhecimento e nos comprometamos com ele de verdade, é muita pancada que a gente leva, é ou não é? 

E dentro disso, eu quero te passar um recado sobre o quanto você tem sofrido por algo que a vida já sinalizou que findou. A página já virou e você ainda tenta se manter naquela velha história. Muito do sofrimento ao qual somos submetidos por ignorância provém da resistência à mudança. Sabemos que a vida é inconstante, impermanente e cheia de oscilações. Mas nós, humaninhos da terceira dimensão, queremos insistentemente a tal da estabilidade. Um produto vendido, mas que não pode ser desfrutado como se promete. 

Porque a vida não deixa ninguém estável, ela nunca coopera com a estabilidade. Mudança é a palavra que define a proposta de atuação da vida. E o ser humano infelizmente se apega demais ao que vive. Então, vem a mudança, leva tudo embora e traz novas coisas, mas a ficha demora a cair, a aceitação demora a ser aplicada. O apego dificulta o fluxo e resiste a ele, e advinha? Temos sofrimento, que nada mais é do que o produto da resistência ao fluxo. 

A grande verdade é que se não resistíssemos ao fluxo, não sofreríamos. Praticamente todo sofrimento que temos provém dessa resistência. Na recusa da aceitação ao que acontece na vida é como se travássemos uma luta contra a Vida, protestando, como se Ela estivesse errada em ser como é. Mas não falo aqui de aceitar tudo em uma posição conformista, jamais! Refiro-me a aceitar o que não se pode mudar. Porque se conformar com algo que pode ser mudado também é uma forma de resistência. 

Só que nós demoramos a soltar e seguir adiante. O namoro acabou, mas a pessoa fica naquilo por semanas (às vezes anos), chorando, lamentando, debatendo-se e culpando o outro pelo que ocorreu, quando não há culpados. As coisas mudam, a gente muda e o outro também. O sujeito perde o emprego, mas não aceita, lamenta, debate-se e lança milhões de “Por que, meu Deus?”, ao invés de largar, aceitar e ir em frente. O ente querido desencarnou, mas a família não deixa a jornada seguir, fica todo mundo sofrendo por não aceitar uma mudança que é imposta pela vida. Não se pode mudar o que a vida impõe. 

E se não se pode mudar, por que então não se aceita logo para que o sofrimento cesse? Porque o ser humano é teimoso, resistente e apegado. Você está sofrendo por algo? É a coisa que te faz sofrer ou é você quem sofre por causa da coisa? Hein? Será que não está na hora de aceitar e deixar ir? Será que sua dor não é um indicativo de que é necessário seguir o fluxo? Será que esse sofrimento não advém da resistência ao fluxo, sendo que Deus já te disse para soltar e deixar ir pra vir o novo? Tem sofrimento aí? É porque você está resistindo ao fluxo. Solta, que melhora. Solta, que alivia. Solta, que resolve. Solta, que tudo anda. Solta, que tudo muda. Solte, flua e seja feliz! 

Crer é a chave!

Vinícius Francis

+ artigos

Vinícius Francis, escritor, canalizador e terapeuta metafísico, cujo trabalho desenvolve-se com base na psicologia humana, espiritualidade, leis do Universo e magia branca, com o objetivo de despertar a consciência divina e resgatar a essência do ser, ofuscada pela educação social e religiosa distorcida.
Sua filosofia de vida é pautada numa espiritualidade independente, onde a felicidade e bem estar são o alicerce de uma vida rica e satisfatória.
Loja Virtual: os-filhos-da-alva.blogspot.com.br