por Erickson Rosa

O sofrimento e a impermanência

De maneira geral, todos nós buscamos fugir da dor e ir em direção às coisas positivas. Ninguém em sã consciência quer sofrer nem viver situações difíceis. A máxima da vida parece ser uma só: ser feliz.

Entretanto, parece ser impossível viver uma vida sem sofrimento. Lembre-se de um dia em que tudo deu certo e todas as coisas aconteceram como você queria. Agora, faça o exercício contrário e lembre-se das coisas que deram errado. Para a maioria das pessoas, é mais fácil lembrar-se dos dias mais difíceis. Claro que isso acontece porque focamos nas situações problemáticas para aprendermos a resolvê-las. Mas, seja como for, não entendemos profundamente o sofrimento nem um conceito muito importante, fundamental para cessar o sofrimento na vida.

Na psicologia oriental, utiliza-se o conceito de impermanência. Esse conceito diz que NADA dura para sempre e que TUDO está em constante movimento no mundo. As situações pelas que passamos, as festas que curtimos, os problemas que resolvemos e até mesmo a própria vida tem um período de tempo e depois aquilo cessa.

Esse mesmo conceito nos diz que sofremos, porque tentamos lutar contra a impermanência das coisas. Queremos que as coisas boas durem para sempre e que as ruins acabem rapidamente. Acontece que, quanto mais nos focamos nas situações ruins, mais as sustentamos. Seria mais ou menos assim: você pensa na situação ruim e acha que aquilo vai durar para sempre, mas essa situação é impermanente e seu sofrimento vem da ideia de pensar que aquilo é para sempre. Assim, sustenta em sua mente o sofrimento por achar que é algo imutável e que nunca vai passar.

Com os momentos felizes, é a mesma coisa. Quando temos um momento prazeroso, queremos que aquilo dure para sempre. Acontece que aquilo também é impermanente e um dia acaba. Então, sofremos por achar que deveria ser algo eterno.

Essa poderosa verdade está em tudo que olharmos, como por exemplo, nas casas que as pessoas habitam. Se os locais pudessem falar e você perguntasse quantas pessoas já se disseram donas deles, provavelmente diriam que muitas.

Essa poderosa verdade nos ajuda a entender que nada dura para sempre. E você pode até dizer que já sabe disso, mas saber e realmente entender tem uma grande diferença. Se você realmente compreende, então sabe que os momentos alegres devem ser vivenciados profundamente e com total consciência no momento presente, pois eventualmente acabam. Da mesma forma, o sofrimento também acaba um dia e, se temos consciência dessa verdade, isso diminui nosso sofrimento.

Mesmo o sofrimento com a morte de um ente querido é reduzido quando se percebe essa verdade de maneira profunda. Todos nós um dia vamos morrer e isso gera significado e senso de urgência de pensar sobre como estamos conduzindo nossas vidas. Precisamos pensar se hoje estamos dizendo o quanto amamos as pessoas, o quanto somos gratos pelas coisas e pelas pessoas a nossa volta, ou se estamos apenas lamuriando e fazendo ações negativas.

Seja como for, é fundamental que entenda que nem suas ações geram efeitos para aqueles que vêm depois de você. Quando entendemos que nada dura para sempre, compreendemos que o que devemos fazer nessa vida é plantar árvores de modo que as próximas gerações colham seus frutos. E você? Qual a árvore que hoje está plantando?

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.