por Erickson Rosa

Os 3 pilares da autoestima

Não existe um único problema que ocorra em nossa vida que não passe por nossa autoestima. Da ansiedade à depressão, a autoestima (ou a falta dela) está ligada a todos os problemas em nossa vida. Sejam eles financeiros, profissionais, familiares e até mesmo no campo amoroso.

Pode-se dizer que a autoestima é o conceito que a pessoa tem de si, e a valorização que dá a si mesmo pessoal e profissional. Sua autoconfiança e autorrespeito são gerados por essa valorização.

Uma pessoa que possui baixa autoestima sente-se a pessoa errada. Ela acredita que suas atitudes, pensamentos e emoções são errados. Dessa forma essa pessoa não se trata com carinho e amor. Ela se critica e esse comportamento gera cada vez mais baixa autoestima.

Para descobrir se sua autoestima está alta, basta responder a três perguntas simples:

1. Você tem se tratado severamente?
2. Você se critica excessivamente?
3. Você sente que algo está errado com você?

Se respondeu sim a essas perguntas, saiba que sua autoestima pode estar baixa. Entretanto, nossa autoestima é como uma semente. Ninguém pode fazê-la brotar, mas nós podemos cultivar essa semente, de maneira que floresça. Cada pessoa é seu próprio jardineiro.

Porém, é impossível cultivar se não entendermos os três pilares que sustentam nossa autoestima. Esses pilares são os geradores do amor próprio. Vamos a eles:

1º Consciência:

Dentre todos os animais, o ser humano é o único capaz de pensar sobre seus próprios pensamentos. Possuímos essa capacidade incrível de pensarmos sobre nosso comportamento e sobre o que estamos pensando e fazendo. 

Entretanto, a consciência é uma escolha que devemos fazer milhares de vezes ao dia. Podemos aumentar nossa consciência durante o dia, ou então retrai-la. São os nossos pensamentos que geram emoções que criam comportamentos e eles produzem resultado. No frigir dos ovos são seus pensamentos que produzem resultados.

Podemos aumentar nosso nível de atenção a nossas emoções, pensamentos e comportamentos, ou então, podemos diminuir nosso nível de atenção e consciência, tornando-se inconsciente para vida. Daí a expressão "vive como se nunca tivesse vivido".

A pessoa que está inconsciente culpa a vida, tudo e todos pelos acontecimentos negativos. Não consegue compreender que seu próprio padrão mental é que está gerando sua realidade. O pior é que por não conseguir estar consciente desses processos, passa a vida sem nunca conseguir mudar.

Como mudar algo que você nem tem consciência que existe? Por isso que a consciência é o primeiro passo para aumentar a autoestima. Sem ele passa a ser impossível verificar os comportamentos que reduzem seu amor próprio.

2º Aceitação:

Depois de tomarmos consciência das emoções e dos nossos pensamentos, é necessária a aceitação dessas emoções. Se você nega a si mesmo que sabota sua autoestima, como corrigir essa emoção? 

A aceitação aumenta nossa autoestima, pois com a consciência vem o conhecimento de quem realmente somos e com a aceitação vem a compreensão desse ser descoberto. Aceitar as coisas boas e ruins é parte desse processo. Aceitar quem somos gera aumento de autoestima, pois não estamos mais nos enquadrando no padrão de outra pessoa. 

Em uma das minhas palestras uma aluna me perguntou: "Como aceitar as coisas que não gosto"? Então respondi a ela: “Você não gosta dessas coisas por causa de você, ou porque alguém não gosta? Isso é seu ou de outra pessoa?”.

Às vezes não aceitamos nosso físico, nosso jeito de ser, simplesmente porque outras pessoas não aceitam. Isso gera frustração, pois tentamos fazer o outro feliz sem notar a infelicidade em nosso coração.

3º Responsabilidade:

Uma coisa é certa nessa vida: você irá errar! Todos nós em algum momento de nossa vida vamos errar, e o erro não é uma coisa ruim. O que você faz com seu erro é que é importante e definirá isso.

Se você possui responsabilidade e observa seu erro com aprendizado, compreendendo que você fez o melhor que podia naquela situação e com o conhecimento que tinha, então você tirará proveito de uma situação desfavorável e que lhe trouxe desconforto. 

Agora se você se culpa e condena-se veementemente sobre seus erros, isso trará baixa autoestima e falta de amor por si mesmo.

Essa é a diferença entre culpa e responsabilidade.

De que adianta se culpar e não aprender nada com isso. A responsabilidade liberta você e traz mais atitude para que consiga evoluir.

Comece hoje a construir esses pilares, trate-se com carinho e amor. Afinal, você merece seu próprio amor.
 

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.