por Silvana Giudice

Só, mas feliz neste 12 de junho

A data comemorativa do Dia dos Namorados faz uma alusão a alegria, troca de presentes, jantares à luz de velas, noites calientes... Felicidade total. Mas esse é apenas um dia! E os outros 364 dias do ano? Como vive a maioria dos casais? Nesse mesmo clima de romantismo, beijos e carinhos?

Não tiremos o brilho desta data, nem sejamos desmancha-prazeres, mas dá licença... Não sejamos também hipócritas! Dia dos Namorados é lindo, mas para quem também vive bem o resto dos dias do ano. Tudo o que queremos em uma relação à dois é troca sincera, companheirismo, amizade, confiança, apoio. Mas é habitual o clima de "Valentine’s Day"? Temos problemas, desafios, dissabores... Um dia pode ser o mau humor do chefe que contaminou o marido ou o namorado. No outro, a TPM da namorada ou esposa que te agride com cobranças e xingamentos desnecessários.

E quantas pessoas vivem à dois e na verdade nem aprenderam a viver bem consigo mesmas? São imaturas, mimadas e responsabilizam o outro por qualquer falta que as atinge. Não compreendem a tênue linha do vazio existencial. Não entendem que a presença de um companheiro nunca as preencherá de uma alma abandonada. Então, vamos lá...

Você está só, mas que tal cultivar o amor-próprio enquanto o amor à dois não vem? Sim. Amar é sentir o amor dentro da gente. Aquela sensação de plenitude que acontece sem a necessidade de algo que esteja fora de nós.

Quando estamos bem com nós mesmos, namoramos um belo livro, namoramos uma música, namoramos os amigos, o cachorro, o nosso trabalho. Quando estamos preenchidos de reconhecimento, amamos qualquer gesto, vemos beleza se o dia está ensolarado, mas também se está chuvoso porque somos GRATOS.

Quando não estamos bem com nós mesmos, não somos felizes nem com o melhor companheiro ou companheira do mundo. Sabe por quê? Porque não enxergamos e não sentimos a "centelha de vida" dentro de nós. O pulsar da vida de ser feliz sem motivo algum.

Neste 12 de junho aproveite para descartar o passado, arrume a casa, o coração. Pare de reclamar, de criticar e de dizer que você só encontra homens errados (e isso vale para os homens também). Pensando desse jeito é mesmo um outro errado que você acabará atraindo.

Bobagem! Tem muitas pessoas certas para você. Cabe a você escolher a frequência que quer sintonizar. E lembre-se: com alguém ou sem ninguém, não importa... Nesse Dia dos Namorados você estará certamente com a pessoa mais importante do mundo, VOCÊ. AME-SE!

Silvana Giudice

+ artigos

Paulistana, formada em pedagogia e Terapias Holísticas. Trabalho com Tarô há mais de quinze anos. Acredito que é uma das ferramentas mais poderosas para a autoconsciência. Com o tarô você tem a chance de desenvolver suas próprias escolhas e jornada de vida. Eu leio e interpreto as cartas, mas é você quem escolhe seu destino ou vocação. O Tarô inspira, orienta, aconselha, abre novos horizontes e perspectivas diferentes para vários fatores da sua vida. Sejam questões profissionais, amorosas ou na realização pessoal.

Atendimentos, aconselhamentos e conversas via e-mail.