por Paulo Bregantin

EGO–ÍSMO

Às vezes confundimos um pouco sobre a que vem a ser o EGO e o que significa o EGO-ísmo. Creio que podemos de forma simples descrever um pouco sobre o que é um e o que é outro.

Ego significa o eu de cada um, é o defensor da personalidade, é um termo muito utilizado na psicanálise e na filosofia. A principal função do ego é procurar harmonizar os desejos e a realidade, e posteriormente, entre esses e as exigências; os valores da sociedade”. Gosto dessa definição de EGO, pois descreve a função dele (EGO) em nossas vidas, ou seja, “procurar harmonizar os desejos e a realidade”.

O desejo e a realidade são características dos seres humanos, sim, todos nós temos desejos que na realidade são vontades, que aparecem muitas vezes sem que tenhamos um real entendimento do que são, mas aparecem, isso é fato. E as realidades são os contrapontos dos desejos. Mais ou menos assim: Eu tenho o desejo de comprar um carro novo (desejo), mas, não tenho dinheiro para comprar (realidade), logo, vou deixar para depois esse desejo. Na maioria das situações na vida acontecem assim.

O EGO é quem administra os desejos e as realidades de nossas vidas e, tanto um como o outro, estão muito mais relacionados com o consciente do que com o inconsciente, claro que o EGO também está até um determinado “espaço” atuando no inconsciente, porém é no consciente onde o EGO mais atua e administra os desejos e as realidades.

De forma normal o EGO faz seu papel de forma simples e fácil, ou seja, os desejos aparecem e, as realidades são demonstradas e aí decidimos o que fazer. O problema começa quando o “ISMO” ou “CENTRICO” entram em ação. Para falarmos um pouco sobre isso vamos avaliar o que significa o “ISMO”.

“ ‘Ismo’, sufixo de origem grega que exprime a ideia de fenômeno linguístico, sistema político, religião, doença, esporte, ideologia etc”. Bem, como lemos, o “ismo” é um sufixo e que é colocado na sequência de uma palavra relacionada como: Marx, fica Marxismo, Islã – Islamismo, Cristão – cristianismo, EGO – Egoísmo, e por aí vai.

Bem, quando colocamos esse sufixo na maioria das vezes é porque nos colocamos a frente de tudo, ou seja, um “ismo” é na realidade o que EU quero antes de tudo. Falando especificamente  sobre Egoísmo (ego + ísmo) é o hábito ou a atitude de uma pessoa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar e realidades, em detrimento (ou não) do ambiente e das demais pessoas com que se relaciona. Neste sentido, é o antônimo de altruísmo.

Quando não controlamos nosso EGO, podemos correr o risco de nos contaminarmos pelos “ismos”, e isso pode ser muito prejudicial para nossas vidas e para as vidas daqueles que nos rodeiam.

O controle do EGO pode ser feito sobre nossos “desejos” e sobre nossas “realidades”, quando consigo administrar essas duas em minha vida consigo capacitar meu EGO a diminuir o “ismo”. Quando não consigo controlar meus “desejos” e minhas “realidades”, abro brechas para que o “ismo” invada meu EGO, e aí podem acontecer muitos processos desagradáveis na minha vida e na vida dos que me rodeiam.
 
Simples assim.
 

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin