por Elizabeth Nakata

Saturno e eu

Final de férias, descontraída, Saturno me deu uma rasteira legal. Não se preocupe, a conversa pode soar a astrologuês, mas vou explicar direitinho essa coisa de "estou num trânsito de Saturno".

Saturno preside, entre outras coisas, as cavernas, e justamente estava a caminho de conhecer uma caverna subterrânea, com luz do sol infiltrada batendo na água e produzindo efeitos fluorescentes, peixes coloridos nadando, uma beleza! Desci do barco numa pedra, em dia nublado pós-chuva noturna. Sou informada que não adiantaria descer, porque a água estava turva, não havia nenhum raio de sol penetrando. O passeio deveria ser adiado. Conformada, refiz a trilha de volta ao barco. Mar batido, barco oscilando muito. Peguei na mão do piloto e, quando já estava com o pé quase no barco, este desceu no vaivém da onda, perdi o pé de apoio, torci o joelho e senti uma dor lancinante, por breves segundos. O resultado foi uma fissura na patela, mais um ligamento rompido.

Começa aqui minha via crucis saturnina. Sem conseguir apoiar mais o pé no chão, com joelho instável, precisei aguardar um mês, andando com muletas, para a fissura solidificar. Após esse período, cirurgia para refazer o ligamento. Uma semana depois o início de uma fisioterapia sem prazo definido para terminar, por volta de seis meses, todos os dias.

Joelhos também são da área do Saturno, planeta que abrange pele, ossos, cabelos, unhas, limitações, paredes, construções, estruturas e, acima de tudo, o tempo. Cronos-Saturno é o senhor do tempo, maníaco por perfeição e excelência. O papo com ele é trabalho, cálculo, racionalidade, sem muito espaço para emoções. A perna ficou apenas osso e pele, com músculos indo parar em local desconhecido. Pedicure adiada, por causa da circulação ruim. Depilação nem pensar.

Para mulheres isso mexe com a vaidade. Para os homens que passam pelo mesmo problema físico também, porque para fazer exames e cirurgia precisam depilar a área, e aí ficam desfilando com uma perna cabeluda, separada por uma faixa pelada. Aposto que agora todo mundo já associou o nome à figura, né? Ou seja, minha perna esquerda passou a ser representante legítima de Saturno. E as limitações? Passei direto de um ambiente de natureza, aberto, livre e ensolarado para algo parecido com Bangu 2, sem direito a banhos de sol mas podendo usar celular e telefone fixo. A vantagem é que não precisei subornar ninguém para ter esses, digamos, privilégios.

Ele, Saturno, não gosta de pressa, e eu, com muletas, não poderia mesmo ir muito rápido. Ele pede um passo de cada vez, um degrau depois do outro, com muita segurança. E assim passei a caminhar, nos seus termos, vagarosamente, sem pular degraus, sem correr e sem pressa. Saturno indica pouca, ou nenhuma, demonstração de emoções, e com aquelas muletas passei a não poder abraçar afetuosamente os amigos e parentes que vinham me visitar. Isso para mim é terrível, porque gosto de apertos de mão fortes e abraços acolhedores. E assim, as lições saturninas começaram a acontecer no dia-a-dia.

Compromissos profissionais já assumidos precisaram ser cancelados ou remanejados, em função das limitações do corpo e da locomoção. Imaginei que, sem frequentar academia, sem queimar calorias, apenas comendo e passando o dia sentada ou deitada, andando uns vinte passos de vez em quando para me deslocar de um aposento a outro de casa, rapidamente ganharia uns quilos a mais. Nos meus pensamentos imaginei umas toneladas se alojando pelo corpo todo, menos na perna esquerda, cada dia mais fina.

Para passar o tempo, imaginava circular na internet um abaixo-assinado para implodir Saturno. Se as pessoas se dispõem a dar um pulinho, no mesmo instante, para realinhar o eixo do planeta (quem não recebeu esse famigerado e-mail?), bem que poderiam aderir a uma causa maluca como essa. Mas o planetinha deve ter sentido a força dos terráqueos aqui, e resolveu me dar uma colher-de-chá, e de chá emagrecedor. Então passei a emagrecer mesmo comendo o de sempre, e com essa vida sedentária. O único senão é que, do lado esquerdo do corpo (onde tenho o joelho operado), o manequim é 36, mas do outro lado é 38. Fala sério! É de enlouquecer qualquer vendedora de loja de roupas! Agora entra mais outra qualidade saturnina: ele adora economia, pede desconto, pechincha. Nada de gastos supérfluos. Então estou pensando em atacar o guarda-roupa de minhas sobrinhas de manequim 36, para devolver os modelitos daqui a uns dois anos, quando Saturno der uma trégua. Aí vai chegar o Júpiter, que expande, alarga, hum, engorda, caramba... Melhor deixar pra pensar nisso depois.

P.S.: Só para esclarecer, os planetas não ficam passeando lá no céu e enviando energias, boas ou más, para nós terráqueos. Os acontecimentos em nossa vida têm uma correspondência planetária, e só. Ou você acha que Saturno ficou de mau humor porque topou com um meteoro, em sua trajetória, e resolveu se vingar em mim, complicando meu ano?

Elizabeth Nakata

+ artigos

Astróloga, Jornalista e Radiestesista.