por Caroline Bespalec

Apenas um motivo

Eu queria ser o seu motivo. Simples assim. Sem mais nem menos. Ser o motivo de qualquer coisa.

Eu queria ser o motivo do seu sorriso logo de manhã, depois de acordar e ter um sonho maravilhoso.

Eu queria ser o motivo da sua fuga, o motivo da sua volta, o motivo de todo o seu caminho.

Eu queria ser o motivo das suas dúvidas, das suas perguntas. Eu queria, ainda por cima, ser o motivo de todas as suas certezas.

Eu queria ser o motivo das suas palavras, dos seus pensamentos, o motivo dos seus sonhos.

Eu queria ser o motivo do seu silêncio, o motivo das suas músicas, o motivo das suas risadas.

Eu queria ser o motivo da sua tristeza, da sua doença e da sua cura. Eu queria, ainda por cima, ser o motivo de toda a sua alegria.

Eu queria ser o motivo dos seus suspiros profundos, o motivo da sua saudade e até mesmo do seu ódio tão repentino.

Eu queria ser o motivo dos seus medos, o motivo do seu ponto fraco. Eu queria ser o motivo de toda essa sua coragem.

Eu queria ser o motivo da sua busca, das suas diferenças, dos seus erros e acertos.

Eu queria ser o motivo das suas melhores recordações, o motivo da história que você conta pra todo mundo. Eu queria, ainda por cima, ser o motivo de todas as suas poesias.

Eu queria ser o motivo da sua raiva, do seu desespero, da sua calma e tranquilidade.

Eu queria ser o motivo do seu começo, do meio, e daquele final feliz que todos desejam.

Eu queria ser o motivo de todo o amor do seu coração.

Eu queria ser o SEU motivo. Simples assim. Sem mais nem menos. Ser o motivo de qualquer coisa que me fizesse parte de você.

“Mas as coisas vão acontecendo... as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos... e nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros.” - John Green (Cidades de Papel)

Caroline Bespalec

+ artigos

Uma jornalista, geminiana e que sempre muda de opinião. Gosta de moda, filmes e do inverno. Trocaria todas as conversas em redes sociais por encontros pessoais.