por Erickson Rosa

5 sintomas de que você está sendo vítima de Autossabotagem Financeira

Já reparou que muitas pessoas são esforçadas, inteligentes e realmente comprometidas, mas muitas vezes não conseguem alcançar a prosperidade financeira? Se você se identificou com essa situação, pode significar que esteja sendo vítima de um processo chamado autossabotagem e, o pior, sem que você se dê conta.

O processo de autossabotagem se dá num nível muito sutil, pois está relacionado com as estratégias que utilizamos ou aprendemos por observação no passado e que hoje repetimos sem pensar, de forma  automática. 

Por exemplo, você não pensa no ato de escovar os dentes. Porém, em algum momento de sua vida, esse ato estava sim consciente. Era necessário saber se começaria pela esquerda ou pela direita. Com o passar do tempo, isso se tornou automático. Tanto que você nem precisa pensar sobre isso. 

É a mesma coisa que ocorre com quem se sabota financeiramente. Essa pessoa tem comportamentos sobre os quais não pensa e isso acaba sabotando sua vida sem que ela perceba. São seus hábitos inconscientes que a estão prejudicando.

Para você saber se está ou não sendo vítima desses hábitos, deixo aqui 5 sintomas de quem sabota suas finanças e não percebe. Veja se você está cometendo esses erros:

1) Não poupar

A pessoa que se sabota financeiramente não pratica o hábito de economizar. Quando recebe, paga as contas, paga o supermercado, a faculdade e a loja onde compra roupas, mas não paga a si mesma. Quando economizamos, estamos separando o valor de nosso investimento, ou seja, o nosso próprio pagamento.
Você pode começar economizando 10% de seu salário ou de tudo que ganha. Se não conseguir, comece com 5%. O importante é criar o hábito de economizar. Esse poderoso hábito fará você ter sempre um valor disponível para investimentos.

2) Usar dinheiro como válvula de escape

Muitas pessoas, quando estão tristes ou ansiosas, buscam recompensar isso com compras e aquisições. Contudo, esse comportamento é na verdade uma substituição de algo que precisa sanar dentro de si. O dinheiro serve para adquirir coisas no mundo objetivo e não suprir carências emocionais que a pessoa carrega dentro de si.
Se você é uma pessoa que sempre que está triste vai ao shopping, comece a substituir esse hábito por tentar descobrir o que realmente lhe deixa triste e como pode lidar com essa situação. E, se mesmo assim continuar triste, procure um programa que lhe traga mais qualidade de vida, como exercícios ou rever antigos amigos. Garanto que é mais divertido que uma ida ao shopping.

3) Crer em ter dinheiro suficiente

Muitas pessoas creem que precisam ter dinheiro suficiente. Porém, essa crença acaba sabotando sua vida financeira. Quando acreditamos que temos que ter o suficiente, não permitimos que o dinheiro sobre e isso acaba se tornando um problema. Como podemos alavancar nossa vida se o dinheiro nunca sobra?
É importante mudarmos a crença e deixar o dinheiro sobrar em nossa vida. Comece criando afirmações nesse sentido, como a frase: “O dinheiro é abundante em minha vida.” À medida que fizer essa prática combinada com o ato de poupar, verá que rapidamente o dinheiro vai surgir mais e mais.

4) Não fazer um orçamento de tudo que gasta

Imagine não saber o quanto você gasta durante o mês? Isso é um grande comportamento autossabotador, pois a pessoa nunca sabe o quanto tem disponível para outros empreendimentos. 
Além disso, sabota-se quando não se planeja. Muitos planejam a festa de final de semana, mas não conseguem planejar a própria vida. A dica aqui é sentar com todos os integrantes da família e rever tudo o que gastam, até mesmo o cafezinho. Isso fará você ter mais controle sobre suas finanças e saber o quanto anda gastando desnecessariamente.

5) Não compreender a importância do dinheiro

Esse é o grande dilema de muitas pessoas por não entenderem a real importância do dinheiro. Para explicar, vamos fazer uma analogia. O dinheiro é como o oxigênio. Você não vive sem oxigênio; se ele faltar, você simplesmente morre. Mas você não vive com o objetivo de ter mais e mais oxigênio. Ele não é um fim, mas um meio para o fim. Da mesma forma é o dinheiro. Serve como um meio para um objetivo. Compreender isso faz você compreender a real importância do dinheiro em sua vida.

Se gostou dessas dicas e quiser saber mais, pode enviar um e-mail para mim com sua dúvida ou então se cadastrar no meu canal do YouTube onde sempre publico vídeos com dicas e materiais especiais sobre autossabotagem.

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.