por Paulo Bregantin

Como Freud analisava um sonho...

O sonho é considerado por Freud como Escritura Sagrada: cada elemento tem igual importância, inclusive seus detalhes mais aparentemente insignificantes ou duvidosos. 

No sonho existem muitos detalhes e cada elemento deve ser descrito, escrito e analisado. Muitas vezes, durante o dia temos flash do que sonhamos...

Porém, quando acontece o esquecimento, como também os acréscimos e correções subsequentes aos sonhos se devem à pressão da resistência, imposta pela censura que tem origem no recalque. Uma ação do inconsciente...

Todos nós temos censuras em nossas vidas (chamamos de traumas) e, guardamos (recalque) para que ninguém e, ás vezes, nós mesmos não encontremos as respostas. É aí que o sonho entra, pois em nossos sonhos podemos fazer tudo e, nos sonhos nossa resistência está diminuída e, assim podemos entrar em campos que durante a vida diurna não conseguimos.

Se deseja entender um pouco sobre sonho aprenda a perceber cada detalhe e não desperdiçar nenhum elemento, mesmo que seja algo insignificante.

 

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin