por Hellen Reis Mourao

Peixes e os deuses

Signo regido por Júpiter e Netuno. Seu símbolo são dois peixes.

Na regência olímpica era regido por Posseidon (o Netuno grego), deus do oceano e que tinha um caráter raivoso e vingativo. Costumamos nos esquecer desse aspecto e associamos Peixes apenas a sonhos e fantasias. Contudo, há um aspecto profundo que vem do mar - a sua fúria, o seu mistério. Conforme Carl Jung, o oceano representa o inconsciente coletivo, e com ele não se brinca!

Por essa razão, piscianos possuem contato com essas forças primordiais – por isso se associa a Peixes os artistas e místicos - o que pode desorientá-los. E não se engane, eles são mais vingativos que um escorpiano.

Posseidon era capaz de atirar redes em suas vítimas, os deixando cegos temporariamente. Por isso, piscianos possuem um fraco senso de direção no mundo objetivo. Ele balança entre os dois mundos.

Peixes também se associa aos mitos do filho amante da Grande Mãe, que incorpora o poder de crescimento, a morte e a ressurreição. Esse deus da colheita já teve muitos nomes como Dioniso e Cristo. Virgem é o signo da Grande Mãe, e seu oposto Peixes é a polaridade oposta ao Filho Divino.

Hellen Reis Mourao

+ artigos

Analista junguiana. Formada em psicanálise e psicologia analítica. Especializada em Mitologia e Contos de Fadas. Atendimentos em psicoterapia.