por Silvana Giudice

Fim do casamento, mas e os filhos?

Seu casamento acabou? Não existe mais amor, carinho, respeito, atração sexual? Vocês não comungam mais dos mesmos interesses, gostos, ideais? Um andou a 100km por hora enquanto outro a 50? Que descompasso hein?

Os dramas familiares que geram em torno deste assunto normalmente vem carregado de mágoa, ofensas, xingamentos, remorsos e culpas.

 

Casamentos acabam porque não caminhamos mais na mesma direção e não devemos culpar nem um nem o outro… Simplesmente acontece!

Finais de casamento de comum acordo seria o ideal, mas normalmente uma parte sai mais machucada e ferida. Agora, sinceramente? Estressada e arrasada normalmente saem os dois e se existem filhos a coisa complica,  e se existe uma terceira pessoa neste meio de campo… Hum, a coisa fica brava!

Traição é barra de digerir e a vingança pode ser proporcional as expectativas que não se realizaram por parte do traído. Expectativa das "juras de amor eterno" . Nossa que jargão mais ultrapassado!

Eu amo, mas como o outro não me ama mais eu vou para o ataque!

Desforras, fingimentos, ataques, histeria, cenas dissimuladas, escândalos, provocação, tudo para extravasar o amor que sinto.

Amor? Quem quer ser amado assim? Sinceramente, eu não!

Amor verdadeiro não se transforma no oposto. Isso é apego, vaidade, criancice, egoísmo e nesta ânsia desesperada de salvar este "suposto amor", usam os filhos como escudo!

Caramba, que formas equivocadas de amar. Que covardia usar um filho para permanecer numa relação. Isso é baixa autoestima, isso é baixaria!

Separação é sofrida e as emoções podem muito bem serem extremadas e confusas... Não nascemos sabendo muita coisa e conforme as situações vão surgindo em nossa vida, vamos tendo que acionar forças internas que desconhecemos, e então temos a oportunidade de sairmos mais fortalecidos e maduros ou cairmos num mar de eternas lamentações ficando doentes, depressivos, amargurados anos a fio.

As crianças de hoje são muito espertas e aceitam a separação dos pais se estes souberem com inteligência manter a saúde mental de seus filhos.

Briguem, discutam, se acusem longe das crianças. É responsabilidade demais para um pequeno assimilar o que não deu certo em sua vida… aliás, deu sim... Desta relação nasceu o amor maior que podemos sentir, e esse é eterno!

Não fale mal de seu ex mesmo que você acredite ter motivos. Deixe o tempo mostrar quem é quem...seja sensível, inteligente e prove que o seu amor por seu filho é maior que tudo!
No mais, busque uma terapia se necessário e acredite, existe vida após um divórcio!

Silvana Giudice

+ artigos

Paulistana, formada em pedagogia e Terapias Holísticas. Trabalho com Tarô há mais de quinze anos. Acredito que é uma das ferramentas mais poderosas para a autoconsciência. Com o tarô você tem a chance de desenvolver suas próprias escolhas e jornada de vida. Eu leio e interpreto as cartas, mas é você quem escolhe seu destino ou vocação. O Tarô inspira, orienta, aconselha, abre novos horizontes e perspectivas diferentes para vários fatores da sua vida. Sejam questões profissionais, amorosas ou na realização pessoal.

Atendimentos, aconselhamentos e conversas via e-mail.